Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8896
Título: Uma Investigação teórica e experimental das propriedades luninescentes de novos complexos de lantanideos com B-cetoésteres
Autor(es): Paula Teixeira de Souza, Ana
Palavras-chave: Complexos de lantanídeos; β -cetoéster; Modelo SMCL
Data do documento: 2005
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Paula Teixeira de Souza, Ana; Manoel Loureiro Malta, Oscar. Uma Investigação teórica e experimental das propriedades luninescentes de novos complexos de lantanideos com B-cetoésteres. 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Química, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Resumo: estudo teórico e experimental das propriedades luminescentes dos complexos de európio (Eu3+), térbio (Tb3+) e gadolínio (Gd3+) com ligantes β-cetoésteres, Etil- 4,4,4-trifluoroacetoacetato (ETA), Etil acetoacetato (EAA), Metil-4-metoxiacetoacetato (MMA) e Etil benzoilacetoacetato (EBA) revelou uma nova classe de complexos que apresentam propriedades ópticas semelhantes aos complexos com ligantes β-dicetonas. Estes compostos são, portanto, potencialmente úteis como dispositivos moleculares conversores de luz. Os complexos mostraram as transições características dos íons lantanídeos, exceto o ligante EBA, onde a emissão típica do íon térbio na região do verde não foi observada. O espectro de emissão dos complexos de gadolínio mostrou que os estados tripletos dos ligantes são ressonantes com os estados excitados dos íons európio e térbio, levando a uma eficiente transferência de energia intramolecular ligante-metal. A otimização da geometria de coordenação obtida pelo modelo SMCL (Sparkle Model for the Calculations of Lanthanide Complexes) indicou um ambiente químico de baixa simetria ao redor do íon lantanídeo (C1), corroborando com os espectros de emissão, particularmente no caso do íon európio em que a transição 5D0→7F0 está presente. Os parâmetros de intensidades teóricos 4f-4f apresentaram boa concordância com os valores experimentais. Os cálculos mostraram que o mecanismo de acoplamento dinâmico co ) ( . .D Aλ Ω é dominante
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8896
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Química

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo9282_1.pdf1,29 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.