Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8837
Title: Interação microfitobentos X copepoda harpacticoida em área estuarina do canal de Santa Cruz - Recife
Authors: Lopes Trindade, Renata
Keywords: Copepoda Harpacticoida; Microalgas; Interação trófica
Issue Date: 2007
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Lopes Trindade, Renata; Jorge Parreira dos Santos, Paulo. Interação microfitobentos X copepoda harpacticoida em área estuarina do canal de Santa Cruz - Recife. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Oceanografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Abstract: Os Harpacticoida participam de processos importantes do bentos porém suas interações específicas com os produtores primários ainda são pouco conhecidas. Este trabalho verificou a seletividade dos Harpacticoida sobre as microalgas e se a distribuição em microescala dos mesmos é influenciada pela distribuição dessas microalgas. Em laboratório realizou-se um experimento, onde as microalgas e quatro espécies de Harpacticoida (Cletocamptus deitersi; Mesochra sp.; Robertsonia mourei; Metis holothuriae) foram isoladas e cultivadas a partir de amostras de sedimento e de água coletadas em 10/08/2006, durante baixa-mar, no mediolitoral do Canal de Santa Cruz. O tempo de pastagem dos Harpacticoida sobre as microalgas foi de 24hs. No mesmo dia e local, foram coletadas amostras de sedimento, com 25 seringas contíguas (1,3cm2), em um centímetro de profundidade para verificar a relação microespacial in situ. A caracterização da área deu-se pelas variáveis: clorofilaa; feopigmentos; percentual de silte/argila; conteúdo de matéria orgânica e salinidade. Em laboratório, diferenças significativas (Mann-Whitney, p=0,0104) foram observadas para as densidades das microalgas Diploneis bombus e Navicula longa na presença de Mesochra sp. e no controle final. Na presença de R. mourei observou-se diferenças significativas (M-W, p=0,0104), comparando com o controle final, para Navicula sp., Tryblionella coarctata e Tryblionella punctata. Diferenças significativas (M-W, p=0,0104), para Cymbella sp.1, Cymbella sp.2 e Gomphonema sp., foram observadas na presença de C. deitersi e no controle final. M. holothuriae não determinou diferenças significativas para nenhuma espécie de microalga. Mesochra sp., R. mourei, C. deitersi, mostraram seletividade para as microalgas e o tamanho das mesmas parece influenciar esta seleção, assim como outros fatores podem explicar porque algumas microalgas não são ingeridas. Quanto a microdistribuição espacial, tanto o grupo Harpacticoida (rs=0,542; p=0,005) como C. deitersi (rs=0,0572; p=0,003) se correlacionaram significativamente com Gomphonema sp. Apesar dos Harpacticoida selecionarem microalgas, as correlações não demonstram de forma inequívoca a influência espacial desta seletividade. A abundância do alimento, a distribuição vertical no sedimento das microalgas e dos Harpacticoida, a predação de níveis tróficos superiores, entre outros fatores, podem fazer com que simples correlações não determinem claramente a influência das microalgas na distribuição microespacial dos Harpacticoida
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8837
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Oceanografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8269_1.pdf682.01 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.