Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/882
Título: Variação temporal da viabilidade de ovos de Aedes spp.( Díptera: Culicidae) coletados em ovitrampas provenientes de área urbana do município de Recife
Autor(es): Lopes de Arrouxelas Galvão Filho, Antonio
Palavras-chave: Mosquito Aedes spp;Oviposição;Ovitrampas Recife, PE
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Lopes de Arrouxelas Galvão Filho, Antonio; Maria Ribeiro de Albuquerque, Cleide. Variação temporal da viabilidade de ovos de Aedes spp.( Díptera: Culicidae) coletados em ovitrampas provenientes de área urbana do município de Recife. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Resumo: Armadilhas de oviposição associadas ao Bacillus thuringiensis var. israelensis (Bti) foram usadas para investigar a postura e eclosão de ovos de Aedes spp em condições de campo, objetivando relacionar variações populacionais desses mosquitos com períodos chuvosos e secos. Avaliou-se também o efeito da estocagem sobre a viabilidade dos ovos recuperados nas ovitrampas. As análises foram feitas em ovos oriundos de palhetas de eucatex recolhidas das armadilhas contendo infusão de gramínia Eleusine indica (Poaceae) a 30% e Bti, após 21 dias de permanência em campo, entre abril e setembro de 2002. As maiores taxas de postura foram observados nos meses de agosto (26,27%) e setembro (25,11%), quando os níveis pluviométricos ficaram abaixo de 281 mm. Independente do período estudado e das condições pluviométricas, em média 38,80±07,03% dos ovos de Aedes spp. estavam eclodidos nas ovitrampas em situação de campo. Em nossas condições de estudo a menor taxa de ovos viáveis foram obtidas com 172 dias (2,47%), aumentando significativamente com a redução do tempo de estocagem, atingindo 38,85% no período de 60 dias (mínimo utilizado em nossa amostra). Aedes aegypti (Linnaeus, 1762), representou 91% e Aedes albopictus (Skuse, 1894), 9% da amostra analisada (setembro 2002), com proporção macho/fêmea de 1:1,1 e 1:1 respectivamente. Estes resultados permitem concluir que os altos índices de eclosão dos ovos no período chuvoso, em detrimento da baixa atividade de postura permitem a manutenção da população em níveis compatíveis com o recrudescimento dos mosquitos no período de seca. Esta condição é reforçada pelo longo período de viabilidade dos ovos. Além disso, A. aegypti foi mais freqüente nas ovitrampas, não havendo diferença na sexagem de ambas as espécies
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/882
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Animal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1941_1.pdf209,12 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.