Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/880
Title: Poeira de estrelas: símbolos e discursos entre usuários de drogas e seus terapeutas em Recife
Authors: Pacheco, Roberto
Keywords: psicoterapias; usos de drogas
Issue Date: 2004
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Pacheco, Roberto; Perin Rocha Pitta, Danielle. Poeira de estrelas: símbolos e discursos entre usuários de drogas e seus terapeutas em Recife. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Abstract: Entre julho de 2002 e agosto de 2003 realizei a observação participante em um centro especializado de tratamento às dependências químicas de um grande hospital do Recife, praticando a psicoterapia com os pacientes e convivendo com seus demais terapeutas colegas psicólogos, psiquiatras, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais. Durante seis meses, também como experiência de campo, freqüentei os espaços de moradia e lazer de um grupo de usuários de drogas, que não estavam em tratamento, os quais denominei de impacientes . Os objetivos da pesquisa incluíam investigar as interrelações simbólicas entre os grupos. Os frutos etnográficos e as prerrogativas do método escolhido no âmbito dos estudos do imaginário levaram-me a conceber a dissertação no formato de romance, que se pretende polifônico, inspirado no sentido que Bakhtin atribui ao romance de formação do sujeito e de seu contexto. Os usuários de drogas com os quais dialoguei me parecem plurais como seus usos, motivações e reações que também expressam uma positividade que se abre à imaginação embora se apresentem vulneráveis a dinâmicas psicopatológicas, construídas nas trocas simbólicas com seu contexto sociocultural. Procurei descrever como os saberes-poderes que amparam certas práticas supostamente terapêuticas podem repercutir dois arquétipos complementares estudados por Gilbert Durand: a mancha e a marca. Em uma conjunção experimental da antropologia, psicologia, psicanálise e literatura, o que pretendi não foi oferecer uma imagem do drogado ; mas penso ter desvelado parcialmente um caleidoscópio de imagens do sujeito usuário de drogas, que curiosamente se confunde com as injunções de nosso cotidiano pós-moderno: os usos de drogas podem ser vistos como maneiras de estar no mundo, expressões do sujeito humano no mundo, ou seja, derivativos de nossa condição humana. Diante dos dados da pesquisa e de minha análise, os paradigmas decorrentes de uma visão esquizomórfica no tratamento de pacientes usuários de drogas mostram-se cientificamente questionáveis, politicamente determináveis, moralmente estigmatizantes e terapeuticamente ineficazes
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/880
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Antropologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4387_1.pdf698.93 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.