Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/874
Título: A experiência de consumo e técnicas corporais : uma reflexão antropológica e política em Paul Virilio
Autor(es): MARÇAL, Maria Christianni Coutinho
Palavras-chave: Experiência; Consumo; Tecnocultura; Culto ao Corpo
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Christianni Coutinho Marçal, Maria; Carvalho Benício de Mello, Sérgio. A experiência de consumo e técnicas corporais : uma reflexão antropológica e política em Paul Virilio. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: Este trabalho investiga a experiência de consumo da malhação feminina, que toma corpo por meio do uso de tecnologias avançadas, e a pressupõe como sendo uma técnica corporal praticada pelas mulheres contemporâneas. Isso é fruto das imagens da tecnocultura, que fornece e dissemina valores para a sociedade de consumo que é fonte geradora de corpos próprios e acelerados. A experiência mostrou-se como sendo um consumo alienado, que alimenta o narcisismo e repercute na morte simbólica do sujeito que a pratica, a malhadora. Sendo assim, um ritual de sacrifício exercido em nome da saúde-perfeita , e por isso paradoxal. Utilizamos a abordagem etnográfica cujo campo foi uma academia de ginástica. Elaboramos uma descrição densa sobre o cotidiano do sujeito embebido no ato de malhar, a fim de iluminar as relações que o mesmo constrói com o mundo [i]material e que ajudam-no a significar esta experiência que culmina na aquiescência social.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/874
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Administração

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1186_1.pdf2,06 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.