Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8732
Title: Óxido nítrico e isquemia cerebral: estudo experimental em roedores
Authors: de Agassiz Almeida Vasques, Marco
Keywords: Óxido nítrico; Déficit neurológico; Oclusão filamentar
Issue Date: 2002
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: de Agassiz Almeida Vasques, Marco; Moraes Valença, Marcelo. Óxido nítrico e isquemia cerebral: estudo experimental em roedores. 2002. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2002.
Abstract: O presente estudo teve como objetivo verificar a atividade da sintase de óxido nítrico e correlacionar com possível déficit neurológico induzido pela isquemia cerebral focal em modelos experimentais em roedores. Foram utilizados dois modelos experimentais: o primeiro utilizando a ligadura da artéria carótida comum direita por seis horas em gerbil e o segundo utilizando a oclusão filamentar da artéria cerebral média de ratos, com tempos de isquemia de 15 minutos, 60 minutos e 24 horas. A produção do óxido nítrico foi investigada através da determinação da atividade da sintase de óxido nítrico (SON) e da concentração de nitrato em tecidos cerebrais. O tratamento com um inibidor não específico da SON (L-NAME) resultou em uma piora do déficit neurológico induzido pela isquemia cerebral focal por seis horas no gerbil. A atividade da SON e a concentração de nitrato no tecido isquêmico não foram diferentes em relação ao hemisfério controle. No rato submetido a 15 minutos de isquemia focal houve uma diminuição da atividade da SON (controle: 226,01±1,23 pmol/mg/15min; isquêmico: 160,06±8,03 pmol/mg/15min, p=0,0105). Efeito semelhante foiobservado em relação à concentração de nitrato (controle: 10,59±0,44 μM; isquêmico: 4,37±0,57 μM, p=0,0004). Em outros intervalos estudados 1 hora e 24 horas - não houve alteração significante da SON ou da concentração de nitratos. Concluindo, o presente estudo sugere que há redução na produção de ON nas áreas isquêmicas em fases precoces e que o ON endógeno tenha alguma função neuroprotetora nas condições de isquemia cerebral focal aguda
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8732
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8905_1.pdf263.75 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.