Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8688
Title: Os aneurismas intracranianos nas duas primeiras décadas de vida : experiência no Hospital da Restauração, Recife, Pernambuco
Authors: de Melo Tavares de Lima, Frederico
Keywords: Aneurismas intracranianos; Crianças; Adolescentes
Issue Date: 2003
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: de Melo Tavares de Lima, Frederico; Rocha Cirne Azevedo Filho, Hildo. Os aneurismas intracranianos nas duas primeiras décadas de vida : experiência no Hospital da Restauração, Recife, Pernambuco. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Abstract: Os aneurismas arteriais intracranianos ocorrem em uma freqüência muito baixa nas duas primeiras décadas de vida com um predomínio no sexo masculino. Na maioria dos casos, o sintoma inicial é um sangramento (HSA/HIP/HIV), mas sinais de hipertensão intracraniana, paralisia isolada de nervos cranianos, epilepsia, isquemia cerebral, cefaléia esporádica ou mesmo achados incidentais podem ser as manifestações reveladoras dessa grave enfermidade. A história clínica freqüentemente não sugere antecedentes patológicos, mas um número expressivo de traumatismos crânio encefálicos prévios de diferentes magnitudes além de problemas infecciosos, principalmente a endocardite bacteriana estreptocócica, têm sido relacionados aos aneurismas incidentes nessa faixa etária. Existem grandes controvérsias na literatura em relação à topografia e ao tamanho dos aneurismas, pois nas séries de autores de língua inglesa os aneurismas da circulação vértebro-basilar e os de diâmetro superiores a 25mm atingem valores acima aos encontrados nas séries originárias de países de línguas derivadas do latim. Outros autores sugerem que esses aneurismas ditos gigantes e da circulação posterior são mais peculiares às crianças na faixa etária abaixo dos cinco anos, especialmente os lactentes. Apesar desses fatores complicadores, o vasoespasmo, tão temido nos pacientes adultos, parece exercer pouco efeito clínico mesmo nos casos com comprovação angiográfica. O presente estudo é constituído por nove pacientes com idade variável de 3 a 19 anos, porém sete deles têm de 10 a 14 anos. O sexo masculino predominou numa proporção de 2:1. Um sangramento foi a manifestação clínica inicial em todos os casos. Duas crianças relatavam um TCE leve nas 24 horas que antecederam o sangramento, uma criança estava no curso do tratamento de endocardite bacteriana e uma adolescente no curso do terceiro trimestre da gestação. Não constatamos aneurismas múltiplos nem gigantes. Seis aneurismas estavam localizados na ACI, cinco deles ao nível da bifurcação. Dos sete pacientes que foram operados, cinco foram considerados curados e nenhum faleceu. Um dos óbitos foi decorrente de ressangramento, o outro por infecção grave
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8688
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8655_1.pdf91.31 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.