Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8641
Título: Idade, crescimento e padrões de recrutamento do Bobó, Sparisoma axillare, na APA Costa dos Corais
Autor(es): Lídia Bertoldi Gaspar, Ana
Palavras-chave: Pesca Artesanal; Recifes Costeiros de Tamandaré (PE); Bobó
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Lídia Bertoldi Gaspar, Ana; Padovani Ferreira, Beatrice. Idade, crescimento e padrões de recrutamento do Bobó, Sparisoma axillare, na APA Costa dos Corais. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Oceanografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: Os peixes-papagaio (Perciformes: Scaridae) constituem um dos grupos dominantes de herbívoros que habitam os recifes de coral. Geralmente, são hermafroditas protogínicos e apresentam fases dicromáticas seqüenciais, denominadas inicial (predominantemente fêmeas) e terminal (somente machos). A espécie Sparisoma axillare, endêmica à costa brasileira, compõe 29% da captura da pesca artesanal praticada nos recifes costeiros de Tamandaré, litoral sul de Pernambuco, APA Costa dos Corais, aonde é alvo da pesca de linha e arpão. Na região norte do estado e no Rio Grande do Norte o número de capturas da espécie com armadilhas, com finalidade de exportação, vem crescendo. Foram analisados dados referentes à composição de tamanhos, idade, crescimento e sexo de exemplares capturados pelas três pescarias. A análise dos otólitos sagittae seccionados apresentou idades estimadas entre 1 e 12 anos. A pesca de linha e arpão representou idades entre 1 e 10 anos, com maior freqüência nas classes de idade 3 e 4, então, foram obtidas amostras de maiores indivíduos a partir da pesca com armadilhas, nos quais as idades foram estimadas entre 8 e 12 anos. Os parâmetros de crescimento calculados variaram em função da inserção ou exclusão desses grupos. Em relação ao sexo, o crescimento foi diferenciado, com machos sendo maiores que as fêmeas da mesma idade, confirmando o já observado para outros scarídeos. Paralelamente, o padrão de recrutamento do bobó ao recife foi acompanhado por um ano com censos visuais realizados mensalmente em três topos recifais em Tamandaré, sendo um dentro de uma área de exclusão de pesca. A partir de 10 mm de comprimento total os juvenis são visualizados nos recifes, principalmente em áreas com alta abundância de macroalgas. O recrutamento ocorreu ao longo de todo o ano, com um período mais definido a partir de setembro, com uma queda na abundância entre junho e agosto. A abundância de recrutas foi maior no topo recifal da área protegida. A taxa de crescimento nesta fase, estimada por análise de progressão modal, foi 1.6. Esse primeiro estudo sobre idade e crescimento de um herbívoro nômade no Brasil é especialmente importante desde que os maiores indivíduos se tornaram alvo da pesca de armadilhas para exportação e essas informações são essenciais para a dinâmica populacional
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8641
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Oceanografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8139_1.pdf1,78 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.