Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8613
Título: Desnutrição experimental e treinamento físico: estudo de parâmetros murinométricos de ratas gestantes e dos conceptos
Autor(es): AMORIM, Marco Antônio Fidalgo
Palavras-chave: Ratas;Período gestacional;Exercício físico;Nutrição
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Antônio Fidalgo Amorim, Marco; Manhães de Castro, Raul. Desnutrição experimental e treinamento físico: estudo de parâmetros murinométricos de ratas gestantes e dos conceptos. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: O período da concepção até o nascimento é caracterizado pelo crescimento rápido, replicação e diferenciação celular, e maturação de órgãos e sistemas. Um estímulo ambiental, durante o período crítico de desenvolvimento, tem efeito subseqüente sobre estruturas e funções de sistemas orgânicos. O presente estudo teve como objetivo estabelecer um protocolo de treinamento físico adaptado para ratas e investigar as repercussões da desnutrição e/ou do treinamento físico em ratas e nos seus conceptos. Foram utilizadas 54 ratas divididas inicialmente em 2 grupos: não treinado (NT) e treinado (T). As treinadas foram submetidas a 8 semanas de treinamento físico em esteira ergométrica. Na 5ª semana, todas ratas foram acasaladas e, depois de verificado o estado de prenhez, manipuladas nutricionalmente com dieta à base de caseína 17% (nutrido) e 8% (desnutrido) durante toda gestação formando assim 4 grupos: não treinado nutrido (NT-N), treinado nutrido (T-N), não treinado desnutrido (NT-D) e treinado desnutrido (T-D). O peso corporal das ratas foi avaliado durante 8 semanas. No 1º dia pós-natal, foi avaliado o número de filhotes nascidos por ninhada, o número de nativivos e natimortos e o peso da ninhada. Cada neonato foi avaliado quanto: peso corporal; eixos látero-lateral e ântero-posterior do crânio; comprimento da cauda e eixo longitudinal do corpo. No 3º dia pós-natal, fêmeas (n=30) dos 4 grupos foram sacrificadas e retirados os órgãos: coração, pulmões, rim, fígado, útero e encéfalo, para aferição de peso e densidade. Filhotes (n=60) também dos 4 grupos foram sacrificados e retirados coração, pulmões e encéfalo e aferido o peso. O treinamento físico acarretou alterações em parâmetros murinométricos maternos como peso pré-gestacional e peso e densidade de órgãos. Quanto aos neonatos, tanto o treinamento como a desnutrição acarretaram alterações no peso ao nascer e nos eixos do crânio e longitudinal do corpo. Os resultados apontam que estímulos ambientais como a desnutrição durante a gravidez e o treinamento físico pré-gestacional e na gestação alteram parâmetros murinométricos do binômio mãe/filhote
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8613
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Nutrição

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8557_1.pdf1,68 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.