Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8608
Título: Análise do desenvolvimento placentário e fetal em ratas, após administração do extrato hidroalcoólico da raiz de Petiveria alliacea L.
Autor(es): Scanoni Maia, Carina
Palavras-chave: Petiveria alliacea; Sítios de implantação; Placenta; Aborto; Extrato hidroalcoólico
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Scanoni Maia, Carina; Teles de Pontes Filho, Nicodemos. Análise do desenvolvimento placentário e fetal em ratas, após administração do extrato hidroalcoólico da raiz de Petiveria alliacea L.. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Patologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: A planta Petiveria alliacea L. é usada na medicina popular em infusões ou misturada com outras plantas, aplicadas em fricções contra dores articulares e reumáticas. Os dados farmacológicos dessa planta são muito variados, servindo como antinoceptiva, anticonvulsante, analgésica, antiinflamatória, hipoglicemiante, antifúngica, vermífugo, gastroprotetora, antitumoral, além de atividade anti-mitótica. Estudos demonstraram que a aplicação de diferentes doses de extratos hidroalcoólico de P. alliacea, em ratas, no terceiro ou no quinto dia de gestação possui efeito zigotóxico e abortivo. Assim, o presente estudo teve o objetivo avaliar o efeito de extratos hidroalcoólico da raiz de P. alliacea, sobre a interação blastocisto e endométrio em ratas. Para realização do experimento foram utilizadas 30 ratas albinas (Rattus norvegicus albinus) da linhagem Wistar, com 90 dias de idade, pesando aproximadamente 200g, provenientes do Biotério do Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal da UFRPE. As fêmeas foram acasaladas e divididas em seis grupos: Grupos I e III - ratas tratadas com placebo no 50 dia de prenhez e sacrificadas no 70 dia e 14° dia (controle), respectivamente; Grupo II e IV - ratas tratadas com extrato hidroalcólico de raiz P. alliacea no 50 dia de prenhez e sacrificadas no 70 dia e 14° dia, respectivamente; Grupos V e VI- Neonatos oriundos de matrizes tratadas com placebo e extrato no 5° dia de prenhez, respectivamente. O extrato foi administrado por via oral (gavagem) na dosagem de 18mg/Kg. Os sítios de implantação e as placentas foram coletados, fixados em líquido de Bouin e processados para inclusão em paraplast . Os cortes obtidos foram submetidos à técnica de coloração pela hematoxilina - eosina (H. E). Os resultados mostraram que o extrato hidroalcoólico da raiz de P. alliacea ocasiona redução no número de sítios implantados; promove um menor desenvolvimento desses sítios, porém não ocasiona alterações histológicas. Com relação à morfologia placentária não houve alterações significativas, bem como na análise macroscópica dos neonatos não se observou alterações no número de nascidos, no comprimento e peso dos mesmos. Esses resultados sugerem que o extrato hidroalcoólico da raiz de P. alliacea na dosagem de 18mg/Kg/animal, administrado em ratas, no quinto dia de prenhez, produz apenas um retardo no processo de implantação
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8608
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Patologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4245_1.pdf2,52 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.