Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8541
Título: Resposta bacteriológica e histológica em processo de alveolite em ratos (Rattus norvegicus albinus) tratados com Mercurius solubilis
Autor(es): ARAÚJO, Flávia Regina Gonçalves de
Palavras-chave: Mercurius Solubilis; Alveolite; Microbiota Oral; Cicatrização Alveolar
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Regina Gonçalves de Araújo, Flávia; Baratella Evêncio, Liriane. Resposta bacteriológica e histológica em processo de alveolite em ratos (Rattus norvegicus albinus) tratados com Mercurius solubilis. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: O objetivo deste estudo foi observar a resposta bacteriológica e histológica nos processos de alveolite em ratos Wistar machos tratados com Mercurius solubilis 12 CH. Os animais foram anestesiados com quetamina (10 mg/kg de peso) + xilazina (0,5 mg/kg de peso), submetidos à extração do incisivo superior direito e subseqüente alveolite, perfazendo, inicialmente, 3 grupos: I água (controle), II - Mercurius solubilis 12 CH 0/20 mL (placebo) e III - Mercurius solubilis 12 CH. Posteriormente, estes grupos foram divididos em 3 subgrupos: A, B e C, correspondendo ao 6o, 15o e 21o dia de alveolite, respectivamente. A microbiota oral foi coletada através de swab em BHI para semeio e bacterioscopia. Após o semeio, as placas de Petri foram incubadas a 37°C por 48 horas. Para o exame histológico, os espécimens foram fixados em formol a 10% por 24 horas, descalcificados e processados para microscopia de luz. Observaram-se alterações quantitativas e qualitativas da microbiota oral ao compararem-se os grupos após extração e alveolite. Os grupos I e II apresentaram maior surgimento de bactérias patogênicas, enquanto o grupo III conservou a microbiota com as características mais próximas da normal. O Mercurius solubilis 12 CH não apresentou atividade bactericida, porém conservou a microbiota dentro dos parâmetros de normalidade. A cicatrização alveolar procedeu-se mesmo diante da alveolite, ocorrendo discretamente no grupo I, mais desenvolvida no grupo II e comparável aos achados normais no grupo III. Tanto do ponto de vista bacteriológico quanto histológico, os melhores resultados foram obtidos após 21 dias de tratamento com o Mercurius solubilis 12 CH
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8541
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Odontologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8537_1.pdf5,78 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.