Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8526
Title: Mercúrio total em Cathorops spixii Agassiz, 1829 (Actinopterygii-Ariidae) no estuário do Rio Goiana: variações espaciais e sazonais
Authors: Cristina Tinoco Barbosa Cintra, Scheyla
Keywords: Cathorops spixii; Mercúrio total; Oceanografia; Estuário do Rio Goiana
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Cristina Tinoco Barbosa Cintra, Scheyla; Ferreira da Costa, Monica. Mercúrio total em Cathorops spixii Agassiz, 1829 (Actinopterygii-Ariidae) no estuário do Rio Goiana: variações espaciais e sazonais. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Oceanografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: A bacia hidrográfica do Rio Goiana, localizada na divisa dos estados de Pernambuco e Paraíba, abriga uma população de aproximadamente 500.000 habitantes, distribuídos em 25 municípios. O sistema estuarino desse rio possui 475.000 m2 e uma extensão de 17 km, da altura da cidade de Goiana até a foz, onde a cobertura vegetal predominante nas margens é a floresta de manguezal e no entorno a cana. As fontes de mercúrio para esse estuário são a lixiviação do solo, o esgoto doméstico, a carcinicultura, a agroindústria da cana de açúcar e os efluentes das indústrias. A quantificação do mercúrio total foi feita no músculo dorso lateral de 155 indivíduos da espécie Cathorops spixii durante 12 meses (dezembro 2005 a novembro 2006), divididos em 4 estações (início da seca setembro a novembro; final da seca dezembro a fevereiro; início da chuvosa março a maio; final da chuvosa - junho a agosto) e 3 áreas do estuário (A1- estuário superior; A2- estuário intermediária; A3- estuário inferior). O peso médio dos indivíduos amostrados foi de 66,7±20,8 g com menor valor no início da estação chuvosa na parte inferior do estuário (48,3±14,8 g) e maior no final da estação seca na parte inferior (101,8±21,2). A média do comprimento padrão desses indivíduos foi de 15,6±1,8 cm, sendo maior no início da estação chuvosa na parte inferior do estuário (17,8±1,7 cm) e menor no final da estação seca na parte inferior (14,1±1,7 cm). A média de concentração de mercúrio total no músculo foi 454,5±265,4 μgHg-T.kg-1 (durante os doze meses). A correlação entre as variáveis biológicas, comprimento e peso em relação à concentração de mercúrio sugere que esse metal está sendo bioacumulado. Diferenças na concentração do metal em relação as estações do ano foram detectadas: 476,8±220,2 μgHg- T.kg-1 (início da estação seca), 617,6±525,0 μgHg-T.kg-1 (final da estação seca), 310,4±144,6 μgHg-T.kg-1 (início da estação chuvosa) e 607,3±284,1 μgHg-T.kg-1 (final da estação chuvosa). Também se observou diferenças em relação às três áreas do estuário
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8526
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Oceanografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo437_1.pdf592.29 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.