Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8486
Título: Avaliação da área de adaptação do cone principal de guta-percha, após seu travamento: estudo in vitro
Autor(es): Laurentina Santos de Carvalho, Rosany
Palavras-chave: Obturação; Guta Percha; Endodontia
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Laurentina Santos de Carvalho, Rosany; Thadeu Pinheiro, José. Avaliação da área de adaptação do cone principal de guta-percha, após seu travamento: estudo in vitro. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Resumo: O preparo biomecânico do canal radicular, além de limpar todo o sistema de canais, modela o espaço de uma forma a permitir uma obturação o mais hermética possível. Durante a realização desta etapa operatória muita importância é dada a necessidade de se ajustar o cone principal de guta-percha no batente apical. Neste estudo, avaliou-se in vitro o percentual de adaptação do cone principal de guta-percha, na porção apical do canal radicular, após a confirmação clínica do seu travamento. Trinta raízes palatinas, de primeiros molares permanentes, foram instrumentadas pela técnica escalonada com recuo progressivo e o batente apical preparado com instrumento de memória # 40. Os cones principais de guta-percha de #40 foram fixados aos canaisl radiculares e em seguida as porções apicais das raízes foram desgastadas com pedra de carborundum, até a visualização da guta-percha. Os terços apicais foram secionados a 2,0 mm do ápice radicular, utilizando-se um micromotor equipado com sistema de refrigeração e disco diamantado extrafino. As peças foram fixadas em placas de material emborrachado de 2,0 x 2,0 cm e submetidas à observação em microscópio estereoscópio, com aumento de 50x e fotografadas. As imagens foram delimitadas e mensuradas através do software AutoCad Release 2000. O percentual de contato entre o cone de guta-percha e as paredes do canal radicular foi de 40,84 + 6,25%. A correlação entre a área e o perímetro da guta-percha e do forame apical não foi significativa (p > 0,05). Concluiu-se que o travamento do cone principal, no batente apical, não promove um contato efetivo entre o cone e as paredes circundantes do canal radicular; não contribui para um preenchimento maior ou menor do forame apical pela guta-percha e que o percentual de preenchimento do forame apical pela guta-percha está diretamente relacionada com a conformação anatômica do forame
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8486
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Odontologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8517_1.pdf647,34 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.