Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8485
Title: Estrutura parental e fatores ambientais como preditores do crescimento linear de escolares
Authors: de Andrade Viana, Larissa
Keywords: Estado nutricional; Crescimento linear; Estatura alvo parental; Baixa estatura; Escolares; Adolescentes
Issue Date: 31-Jan-2011
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: de Andrade Viana, Larissa; Kruse Grande de Arruda, Ilma. Estrutura parental e fatores ambientais como preditores do crescimento linear de escolares. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Abstract: Estudos evidenciam que a altura final do indivíduo resulta da interação entre sua carga genética e os fatores do meio ambiente, os quais permitirão a maior ou menor expressão de seu potencial genético. A avaliação do crescimento linear é atualmente realizada através de comparações com padrões pré-estabelecidos elaborados a partir de medianas de observações em populações de referência. A literatura ainda é insuficiente na elucidação dos determinantes do déficit estatural de crianças em idade escolar e em adolescentes. O objetivo deste estudo foi avaliar a interferência do potencial genético e dos fatores ambientais no crescimento linear de escolares, utilizando para isso o banco de dados do projeto intitulado Obesidade infantil: diagnóstico, tratamento e avaliação em escolares da rede pública e privada do município de Camaragibe 2004 , os quais subsidiaram a elaboração de dois artigos originais. O primeiro, enfocando a adequação da estatura atual de escolares ao seu potencial genético de crescimento estimado a partir do canal de crescimento ideal (CCI), e o segundo, avaliando os fatores associados ao risco de baixa estatura em escolares. Os resultados mostram uma prevalência de baixa estatura de 14%, sendo que a média da estatura atual dos escolares foi significativamente superior ao limite máximo esperado do CCI. O método de avaliação do crescimento linear vigente, quando comparado à adequação ao CCI, apresentou concordância estatística (Kappa = 0,670 p=0,000). Por outro lado foi encontrada maior chance de déficit estatural nos escolares com renda inferior a 0,5 SM, sem banheiro e sem televisão no domicilio (RP = 2,19 IC 95% 1,03 4,66, RP = 2,98 IC 95% 1,16 7,66 e RP = 2,48 IC 95% 1,34 4,60, respectivamente) e cujas mães também apresentavam baixa estatura (RP = 1,99 IC 95% 1,23 3,23). Os achados evidenciam que as crianças e adolescentes estão crescendo acima do seu potencial máximo de crescimento, o que possivelmente reflete melhoria das condições de vida da população, evidenciando também a possibilidade de utilização da adequação ao CCI na avaliação do déficit estatural e principalmente na avaliação da adequação ao potencial genético de crescimento da criança e do adolescente. Observa-se que mesmo em um grupo homogêneo em termos de renda, a presença desses dois itens já diferencia o nível das famílias. Além disso, a baixa estatura materna reforça a idéia da correlação intrafamiliar entre mães e seus filhos por compartilharem tanto informações genéticas quanto ambientais
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8485
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4033_1.pdf1.01 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.