Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8461
Título: Avaliação comparativa da capacidade de infiltração dentinária da clorexidina a 0,2% na irrigação de canais radiculares: estudo in vitro
Autor(es): Silva, Ana Claúdia da Cunha
Palavras-chave: Endodontia;Soluções irrigadoras;Clorexidina;Infiltração dentinária
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Claúdia da Cunha Silva, Ana; Agnelo de Lima, Georgina. Avaliação comparativa da capacidade de infiltração dentinária da clorexidina a 0,2% na irrigação de canais radiculares: estudo in vitro. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Resumo: O presente estudo teve como propósito avaliar in vitro a capacidade de infiltração dentinária da clorexidina a 0,2% na irrigação de canais radiculares, quando comparada ao hipoclorito de sódio a 1% e à água bidestilada (controle). A amostra foi composta de 51 dentes distribuídos em três grupos, com 17 dentes cada, que foram submetidos ao preparo químico-mecânico, sendo cada grupo irrigado com uma das referidas substâncias, associadas ao corante azul de metileno. Os dentes foram então cortados no sentido transversal a 2, 4 e 6 mm do ápice radicular e a infiltração da solução foi quantificada através do cálculo da área corada nos 153 cortes, utilizando-se o software AutoCad Release 2000. Para análise dos dados, foram utilizadas técnicas de estatística descritiva que incluíram a obtenção de média, mediana, desvio padrão e coeficiente de variação e inferencial, com aplicação da ANOVA, através do teste F e teste de comparações pareadas de Tukey, teste de Shapiro-Wilks e teste de Levene. O nível de significância adotado foi de 5%. Os valores medianos de infiltração percentual a 2, 4 e 6 mm foram, respectivamente, 3,39%, 20,12% e 38,57% para a clorexidina; 2,14%, 14,52% e 13,92% para o hipoclorito de sódio e 4,66%, 11,86% e 27,99%, para a água bidestilada. Os resultados demonstraram que a clorexidina apresentou boa capacidade de infiltração dentinária, em relação ao hipoclorito de sódio e à água bidestilada; quanto mais distante do ápice, maior foi a penetrabilidade de todas as substâncias testadas e na avaliação percentual, a clorexidina apresentou maior poder de penetração a nível cervical, médio e apical, respectivamente
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8461
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Odontologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8508_1.pdf4,38 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.