Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8404
Title: Suplementação com L-glutamina em ratos lactentes nutridos e desnutridos: efeitos sobre o fenômeno da depressão alastrante cortical após o desmame
Authors: LIMA, Denise Sandrelly Cavalcanti de
Keywords: Desenvolvimento Cerebral;Depressão Alastrante Cortical;Desnutrição;GABA;Glutamato;Glutamina
Issue Date: 31-Jan-2009
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Sandrelly Cavalcanti de Lima, Denise; Carlos Araújo Guedes, Rubem. Suplementação com L-glutamina em ratos lactentes nutridos e desnutridos: efeitos sobre o fenômeno da depressão alastrante cortical após o desmame. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Abstract: O aminoácido glutamina (Gln) atua como precursor dos neurotransmissores glutamato e ácido gama-amino-butírico (GABA). Portanto, supõe-se que a sua suplementação dietética possa exercer influência sobre a excitabilidade cerebral. Esta dissertação originou o artigo intitulado L-glutamine supplementation during the lactation period facilitates cortical spreading depression in well-nourished and early-malnourished rats, atualmente submetido para publicação, e que está apresentado às páginas 25 &#150; 48. O objetivo foi caracterizar em ratos recém-desmamados, bem-nutridos (N) e desnutridos (D), os efeitos da suplementação enteral com Gln durante o período de desenvolvimento do cérebro sobre a depressão alastrante cortical (DAC). Ratos Wistar machos, nas condições N e D, receberam Gln (500mg/Kg/dia) por gavagem do 7º ao 27º dia de vida pós-natal. Dos 30 aos 40 dias de vida, foram submetidos ao registro da DAC durante 4 horas, em dois pontos da superfície cortical parietal do hemisfério direito. A velocidade de propagação foi calculada a partir do tempo requerido para uma onda da DAC atravessar a distância inter-eletrodos. Nas duas condições nutricionais, os ratos suplementados com Gln apresentaram velocidades de propagação da DAC mais elevadas (p<0,05; N-Gln = 4.22 ± 0.23; D-Gln = 4.51 ± 0.27 mm/min), quando comparados a um grupo controle tratado com o veículo (água) usado para dissolver a Gln (N-V = 3.77 ± 0.21; D-V = 4.15 ± 0.18 mm/min). Este último grupo, não diferiu de um outro grupo controle &#147;ingênuo&#148; (I), que não foi submetido ao procedimento de gavagem (N-I = 3.71 ± 0.16; D-I = 4.10 ± 0.11 mm/min). Um quarto grupo, tratado com um aminoácido &#147;placebo&#148; (glicina; Gly), também apresentou velocidade de propagação que não diferiu do controle tratado com água (N-Gly = 3.59 ± 0.24; D-Gly = 4.15 ± 0.18 mm/min). A suplementação com Gln não alterou os pesos corporais e encefálicos dos animais em nenhuma das condições nutricionais estudadas. Os resultados indicam que a suplementação com Gln durante o período de desenvolvimento do cérebro facilita a propagação da DAC e que este efeito não é alterado pela desnutrição. Supõe-se que a Gln exerce um papel sobre a excitabilidade cerebral, provavelmente resultante da modulação da síntese de neurotransmissores
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8404
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo3884_1.pdf949.6 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.