Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/837
Título: Caracterização molecular (PCR) e infecção de Metarhizium anisopliae var. acridum e Metarhizium anisopliae em Zaprionus indianus
Autor(es): LEÃO, Mariele Porto Carneiro
Palavras-chave: Metarhizium;Região ITS-rDNA;Intron Splice Site Primer;Microssatélite;Zaprionus indianus
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Porto Carneiro Leão, Mariele; Áurea de Luna Alves Lima, Elza. Caracterização molecular (PCR) e infecção de Metarhizium anisopliae var. acridum e Metarhizium anisopliae em Zaprionus indianus. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia de Fungos, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: Foram analisadas as linhagens Metahizium anisopliae var. acridum e Metarhizium anisopliae var. anisopliae quanto à patogênicidade sobre Zaprinus indianus, utilizando as concentrações 104, 105, 106, 107, 108 conídios/mL considerando o percentual de emergência de adultos. De acordo com a metodologia empregada verificou-se que as duas linhagens apresentaram ação contra Z. indianus. Os marcadores moleculares ITS (Internal Trancride Spacer) do rDNA, Intron Splice Site Primer e Microssatélite (SSR- Simple Sequence Repeats), foram utilizados para avaliar a diversidade genética entre as linhagens antes e após a passagem pela mosca. A análise de agrupamento usando o método de UPGMA baseada nas distâncias genéticas dos marcadores moleculares confirmou a diversidade genética reconhecida no gênero Metarhizium. O microssatélite (GTG)5 e o intron do grupo mRNA nuclear tiveram a mesma sensibilidade em detectar a variabilidade genética entre as linhagens de Metarhizium . Os produtos de amplificação dos loci ITS1-5.8-ITS2 do rDNA com os iniciadores ITS4 e ITS5 foram eficientes em demonstrar que as linhagens estudadas pertence à espécie Metarhizium anisopliae, apesar da diversidade genética demonstrada pelos marcadores (GTG)5 e EI1. Os perfis de amplificações da região microssatélite, intron e ITS após a passagem por Z. indianus comprovaram que as linhagens reisoladas foram às mesmas que foram utilizadas para infectar
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/837
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia de Fungos

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4602_1.pdf919,44 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.