Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/828
Título: Polinização e fenologia reprodutiva de Byrsonima gardnerana A. Juss. (Malpighiaceae) em área de Caatinga/Nordeste do Brasil
Autor(es): Lucia de Santana Bezerra, Elisangela
Palavras-chave: Centridini; Melitofilia; Fenologia; Flores de óleo; Caatinga
Data do documento: 2004
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Lucia de Santana Bezerra, Elisangela; Cristina Sobreira Machado, Isabel. Polinização e fenologia reprodutiva de Byrsonima gardnerana A. Juss. (Malpighiaceae) em área de Caatinga/Nordeste do Brasil. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Resumo: A família Malpighiaceae encontra-se distribuída na faixa pantropical, representada por cerca de 1100 espécies agrupadas em 60 gêneros. Stigmaphyllon é um gênero de Malpighiaceae com cerca de 100 espécies, caracterizado por apresentar flores amarelas com androceu heteromórfico, estigmas alados semelhantes a folhas e grandes glândulas calicinais secretoras de óleo. A fenologia, biologia floral, sistema reprodutivo e a polinização de S. paralias foram estudadas no Parque Nacional do Catimbau, Agreste de Pernambuco (vegetação de Caatinga), entre março/2002 a março/2003, com observações complementares em áreas próximas a manguezais em Catuama, Goiana/PE. Stigmaphyllon paralias apresenta flores hermafroditas, zigomorfas, com corola amarela composta por cinco pétalas unguiculadas e oito elaióforos aderidos ao cálice. Apresenta flores ao longo de todo ano, com pico entre os meses de Setembro a Fevereiro. Os testes de polinização controlada revelaram que S. paralias é autoincompatível, reproduzindo-se também assexuadamente através de propagação vegetativa. Centris aenea e C. fuscata foram os principais polinizadores de S. paralias nos dois ecossistemas. A polinização cruzada, realizada exclusivamente por abelhas fêmeas da tribo Centridini, que visitam as flores à procura de óleos para compor a dieta de suas larvas, é a única forma de reprodução sexuada, sendo essencial na manutenção da variabilidade genética da planta
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/828
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4706_1.pdf1,76 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.