Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8230
Title: Doença hepática gordurosa não-alcoólica em pacientes de um hospital universitário
Authors: GADELHA, Patrícia Calado Ferreira Pinheiro
Keywords: Doença hepática gordurosa não-alcoólica;Síndrome metabólica;Obesidade abdominal;Dieta;Fatores de risco cardiometabólicos
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Calado Ferreira Pinheiro Gadelha, Patrícia; Kruse Grande de Arruda, Ilma. Doença hepática gordurosa não-alcoólica em pacientes de um hospital universitário. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: Introdução: A doença hepática gordurosa não-alcoólica (DHGNA) é a doença hepática mais comum da população ocidental. Fatores como resistência insulínica e consumo excessivo de carboidratos e/ou lipídios contribuem para o estabeleimeto e a progressão da doença. Poucos estudos abordam a presença de comorbidades juntamente com o consumo alimentar destes pacientes. Objetivo: Estudar a relação entre a presença de DHGNA ea antropométricas, clínicas, bioquímicas e dietéticas de pacientes atendidos no Ambulatório de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas de Pernambuco. Métodos: Foi realizado estudo do tipo série de casos com grupo de comparação, de marco a julho de 2009, com 41 pacientes com DHGNA e 44 sem DHGNA por diagnóstico ultrassonográfico, utilizando um questionário contendo informações socioeconômicas, antropométricas (Índice de Massa Corporal e circunferência abdominal), clínicas (Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial), bioquímicas (glicemia de jejum, colesterol total, LDL-c, HDL-c, triglicerídeos, alanina aminotransferase, aspartato aminotransferase, gama glutamil transferase, fosfatase alcalina) e dietéticas (energia e macronutrientes). Resultados: Houve associação entre a DHGNA e o diabetes mellitus (p=0,026), a obesidade abdominal (p<0,001) e a síndrome metabólica (p<0,001). Os pacientes com DHGNA apresentaram valores superiores com dieferença estatística de índice de massa corporal (p<0,001), circunferência abdominal (p<0,001), glicemia de jejum (p<0,004), triglicerídeos (p<0,001), alanina aminotransferase (p<0,001), aspartato aminotransferase (p<0,001), gama glutamiltransferase (p<0,001), fosfatase alcalina (p=0,031) e valores estatísticamente inferiores de HDL-c (p<0,001) quando comparados com os indivíduos sem DHGNA. Os pacientes com DHGNA ingeriram mais calorias (p=0,008), carboidratos (p=0,002) e proteínas (p<0,040) que os sem DHGNA. As correlações indicam elevado risco cardiometabólico e aumento da injúria hepática com o ganho de peso, sobretudo com excesso de gordura abdominal, nestes pacientes. Conclusão: A obesidade é um achado clínico freqüente no exame físico dos pacientes com DHGNA. A medida da circunferência abdominal e os níveis séricos de glicose, lípideos e das enzimas hepáticas aumentam o risco do desenvolvimento de eventos cardiometabólicos nestes pacientes. A ingestão alimentar aumentada de calorias, carboidratos e proteínas ratifica a relevância do consumo alimentar excessivo no ganho de peso. A presença de obesidade abdominal é fator de risco para a DHGNA, sendo a ingestão excessiva de nutrientes um contribuinte para o acúmulo de gordura corporal, especialmente na região abdominal
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8230
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo3077_1.pdf1.65 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.