Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8190
Title: Gráficos de barras e materiais manipulativos: analisando dificuldades e contibuições de diferentes representações no desenvolvimento da conceitualização matemática em crianças de seis a oito anos
Authors: Coelho Vieira Selva, Ana
Keywords: Gráficos de barras;Problemas aditivos
Issue Date: 2003
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Coelho Vieira Selva, Ana; Tarcisio da Rocha Falcão, Jorge. Gráficos de barras e materiais manipulativos: analisando dificuldades e contibuições de diferentes representações no desenvolvimento da conceitualização matemática em crianças de seis a oito anos. 2003. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Abstract: O objetivo desse trabalho foi investigar o uso de gráficos de barras como suporte representacional na resolução de problemas aditivos e as dificuldades surgidas na interpretação e construção dessa representação. Também, estávamos interessados em avaliar se a combinação entre a representação gráfica e o uso de material manipulativo poderia auxiliar crianças a resolverem problemas aditivos envolvendo gráficos. Dois estudos foram realizados. No primeiro estudo, 24 crianças pré-escolares com idades entre seis e sete anos resolveram problemas aditivos com blocos e depois com gráficos. Eles participaram de uma seqüência de atividades que tinha como objetivo ajudá-los a lidar com algumas dificuldades relacionadas à representação gráfica. As crianças trabalharam em pares. Os resultados obtidos confirmaram estudos anteriores que mostraram dificuldades por parte das crianças em lidar com alguns conceitos matemáticos relacionados à construção e interpretação de gráficos. Entretanto, nossos dados também mostraram que tais dificuldades podem ser superadas a partir de atividades que colocam em relevância o problema em questão. Os participantes do segundo estudo foram 57 crianças da alfabetização e primeira série, com idades entre seis e oito anos. Comparamos duas metodologias para trabalhar com gráficos, combinados com problemas verbais e blocos ou não. As crianças foram distribuídas em tre grupos: bloco-gráfico, gráfico e controle. O grupo bloco-gráfico resolveu problemas apresentados através de gráficos de barras e de problemas verbais com blocos de encaixe. O grupo gráfico resolveu a mesma série de problemas, entretanto, todos os problemas foram apresentados através de gráficos. O grupo controle resolveu o mesmo número de questões que os outros grupos, mas somente foi apresentado a eles contas de adição e subtração. Os dados mostraram, após a intervenção, melhores desempenhos de ambos grupos experimentais em relação ao grupo controle. Entretanto, após oito semanas, apenas o grupo bloco-gráfico mostrou um desempenho significativamente superior em relação ao grupo controle. Refinando-se essa análise, constatamos que a queda observada no grupo gráfico ocorreu especificamente na série da alfabetização. De modo geral, ambos estudos realizados mostraram que a combinação entre gráficos de barras e problemas verbais com blocos pode ser um caminho promissor para o trabalho com gráficos, especialmente com crianças pequenas. Esta combinação parece auxiliar as crianças a relacionarem a representação gráfica com estratégias mais familiares de resolução de problemas
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8190
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Psicologia Cognitiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8808_1.pdf2.38 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.