Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/819
Título: Os Caretas de Triunfo: a força da brincadeira
Autor(es): COSTA, Maria Das Graças Vanderlei Da
Palavras-chave: identidade; tradição; estética; imaginário; Caretas
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Das Graças Vanderlei Da Costa, Maria; Aparecida Lopes Nogueira, Maria. Os Caretas de Triunfo: a força da brincadeira. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: O folguedo dos Caretas de Triunfo, hoje com aproximadamente nove décadas de existência, traduz a força do universo simbólico que o envolve. Entre mudanças e permanências, prazeres e conflitos, a brincadeira é exemplo de uma tradição compartilhada entre parentes e amigos. Nessa manifestação carnavalesca, a estética, expressão de emoção e sensibilidade, apresenta-se como elemento emblemático que possibilita o envolvimento entre as pessoas. Em sua trajetória, é reconhecida a importância e a visibilidade dos mascarados que passam a representar a cidade sertaneja, hoje intitulada Terra dos Caretas. O estalido dos chicotes, o desenho das máscaras, as cores da indumentária, as mensagens trazidas nas tabuletas, o som dos chocalhos, o movimento dos corpos encobertos, o silêncio enigmático dos brincantes, despertam sentidos e provocam emoções. A partir desses elementos pertinentes ao campo do sensível, cresce o convívio, formam-se grupos, reúnem-se indivíduos que vivenciam o imaginário presente nessa manifestação da tradição, que se mantém e se renova num constante movimento. Para perceber essa dinâmica utilizei como recurso metodológico a observação direta da brincadeira e o registro das lembranças materiais e imateriais dos moradores, visitantes e brincantes: memória pessoal e coletiva, familiar e grupal. Partindo das peculiaridades do lugar onde se desenvolve o folguedo, a cidade de Triunfo, passo a seguir uma trajetória construída a partir das recorrências temáticas que afloraram durante a pesquisa e que auxiliaram o direcionamento do meu olhar. O medo, a curiosidade e o orgulho formam uma tríade de elementos recorrentes que, marcando as lembranças dos indivíduos envolvidos na brincadeira, dão vida e sustentação ao folguedo triunfense
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/819
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Antropologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4352_1.pdf6,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.