Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8181
Título: O discurso e a prática no Centro de AtençãoPsicossocial: a construção do cuidado em saúde mental
Autor(es): Lúcia Dutra Facundes, Vera
Palavras-chave: Políticas Públicas de Saúde; Saúde Mental; Serviços Comunitários de Saúde Mental
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Lúcia Dutra Facundes, Vera; Coelho Bastos Filho, Othon. O discurso e a prática no Centro de AtençãoPsicossocial: a construção do cuidado em saúde mental. 2010. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: O estudo tem por objetivo analisar a interface entre as ações de cuidado desenvolvidas num Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e os discursos dos sujeitos envolvidos no serviço em relação aos pressupostos do modelo psicossocial. Buscou-se ainda identificar quais as percepções que foram construídas pelos usuários, familiares e profissionais sobre o cuidado desenvolvido no serviço; compreender como as práticas desenvolvidas nessa instituição repercutiram na relação entre o serviço e a rede de atenção à Saúde Mental no território e descrever aspectos que interferiram na integralidade das ações no serviço e na execução do projeto terapêutico institucional. Adotou-se o método de pesquisa qualitativa em estudo de caso com triangulação de informações coletadas a partir de entrevistas, observação participante e análise documental. Da análise de conteúdo, conforme Bardin (2004) emergiram as seguintes temáticas: O Cuidado na Atenção Psicossocial nova chance de recompor a vida; Práticas intersubjetivas e atividades: relações entre usuários, familiares e profissionais e Função Avançada e Intersetorialidade tecendo a rede de atenção psicossocial no território. O cuidado da Saúde Mental desenvolvido no CAPS evidenciou consonâncias e divergências entre a prática e o discurso dos sujeitos envolvidos no serviço, movimento característico do processo de transformação do modelo assistencial. As articulações com a rede de saúde e sócio-comunitária representaram um grande desafio para o serviço. As ações desenvolvidas, embora insuficientes, demonstraram o esforço contínuo da equipe para atingir o propósito da função avançada no CAPS. No que diz respeito à execução do projeto técnico do serviço revelaram-se as seguintes fragilidades: as práticas não estimulam a autonomia e o protagonismo dos sujeitos, mantendo-os numa relação de objeto das intervenções técnicas; há falta de integração entre os equipamentos sócio-comunitários e de saúde e, por conseqüência, isolamento e centralização do cuidado, que pode levar à repetição do modelo que se quer modificar. Embora o presente estudo não se proponha à comparações, foram encontradas semelhanças entre esses achados e o de outros, na literatura. A sustentação da reforma da assistência à Saúde Mental passa pelo investimento técnico, político, científico e ético. Desta forma, para a construção do cuidado é importante investir na reflexão e transformação relativas às características das interações interpessoais nos atos assistenciais, além de debruçar-se, cada vez mais, sobre as raízes e significados biopsicossociais dos adoecimentos, de forma articulada às tecnologias e serviços disponíveis para sua superação
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8181
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1445_1.pdf2,08 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.