Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8133
Título: A construção narrativa dos sentidos de bioidentidade: obesidade e cirurgias bariátricas
Autor(es): Karina Moutinho Lima, Ana
Palavras-chave: Bioidentidade; Narrativas; Posição; Construção de sentidos; Cirurgia bariátrica
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Karina Moutinho Lima, Ana; Rogério de Lemos Meira, Luciano. A construção narrativa dos sentidos de bioidentidade: obesidade e cirurgias bariátricas. 2010. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: A bioidentidade constitui uma forma particular de definição do humano, comum às ciências humanas, na qual o cuidado de si é voltado para o corpo e à manutenção de padrões médicos e estéticos. Nesta definição, que caracteriza uma narrativa social ocidental nos dias atuais, as pessoas agem com reflexividade (taxação contínua de nós mesmos), autonomia (responsabilidade por garantir nossa saúde) e vontade (impulso para cumprir as orientações médicas e manutenção dos ideais de saúde e beleza). Sabendo disto, este estudo tem como objetivo investigar como pessoas que realizaram cirurgia bariátrica constroem sentidos de bioidentidade em narrativas. Para integração entre perspectivas narrativistas e psicologia discursiva, recorremos à noção de posicionamento agentivo como forma de construção de sentidos do narrador e na narrativa. Utilizamos a análise de posicionamento para definir as posições das participantes em relação a elas mesmas, a outros personagens da história e à narrativa social da bioidentidade. Foram realizadas duas entrevistas narrativas, registradas em áudio, e nas quais as participantes Ísis e Afrodite contaram sua trajetória de vida. No processo analítico, interpretamos a construção de sentidos nas diferentes posições assumidas antes, durantes e depois da cirurgia bariátrica. Para Ísis admitimos as posições de descontrole, ambigüidade e controle, enquanto para Afrodite, as posições de rejeição, superação, desconforto e aceitação. Na transformação destas posições admitimos também mudarem as posições em relação aos demais personagens de suas histórias, assim como suas posições em relação à reflexividade, autonomia e vontade. Ambas também trazem, em suas narrativas, um elemento novo em relação à narrativa social da bioidentidade, a emocionalidade. Destaque às categorias: pequenas histórias, espaço-tempo, personagem, enredo, qualificadores, ação, objeto e recursos explicativos, que nos ajudaram a especificar a análise de posicionamento , melhor precisar como se dá o posicionamento das narradoras, e, por conseguinte, a construção de sentidos de si mesmas que fazem nas narrativas
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8133
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Psicologia Cognitiva

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo831_1.pdf2,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.