Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/810
Título: Análise de uma organização penitenciéria feminina à luz do modelo multidimensional-reflexivo
Autor(es): BARROS, Daniel Lins
Palavras-chave: Análise Organizacional; Organização Penitenciária; Modelo de Análise Multidimensional-reflexivo de Alves (2003); Modelo de Etzioni (1974)
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Lins Barros, Daniel; Alves de Souza, Sérgio. Análise de uma organização penitenciéria feminina à luz do modelo multidimensional-reflexivo. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: Esta dissertação analisa uma organização penitenciária, a Colônia Penal Feminina do Recife - CPFR, à luz do modelo de análise multidimensional-reflexivo de Alves (2003), utilizando também o modelo de Etzioni (1974) como abordagem complementar. Foram pesquisadas as características estruturais, os dispositivos de coordenação, as características dos agentes e os relacionamentos internos prevalecentes na CPFR, como também a ambiência sócio-afetiva das reeducandas. Posteriormente, procedeu-se a verificação da inter-relação existente entre essas duas esferas de análise: a configuração organizacional-administrativa da CPFR e a organização social das reclusas, sendo associados seus principais atributos com o proposto de se analisar a colônia em todas as suas esferas constituintes, da administrativa à espontaneamente criada. Sendo considerada uma pesquisa qualitativa, foram utilizadas três técnicas de coleta de dados: pesquisa documental, entrevista e observação. Os resultados remetem à conclusão que o modelo de análise multidimensional-reflexivo de Alves (2003, originalmente criado para organizações empresariais, mostra-se também aplicável para a compreensão do contexto utilitarista e normativo de uma penitenciária. No entanto, esse modelo apresenta limitações para o entendimento dos elementos coercitivos presentes na CPFR. Para o entendimento destes componentes não legítimos de autoridade, o modelo de Etzioni (1974) mostrou-se mais adequado, ampliando a capacidade de compreensão da organização pesquisada
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/810
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Administração

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1161_1.pdf696,56 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.