Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8090
Título: A concepção de sujeito no discurso de artistas plásticos
Autor(es): José Loreto Quérette, Felipe
Palavras-chave: Psicologia discursiva;Folk psychology;Concepção de sujeito;Arte contemporânea.
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: José Loreto Quérette, Felipe; Rogério de Lemos Meira, Luciano. A concepção de sujeito no discurso de artistas plásticos. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: O presente trabalho é uma investigação sobre o campo da arte contemporânea no Brasil com o suporte teórico da Psicologia Discursiva. A Psicologia Discursiva é uma área da Psicologia que investiga como as categorias psicológicas são invocadas e manejadas no discurso cotidiano. Seus postulados propõem um deslocamento nos tópicos e explicações psicológicos tradicionais, evitando a teorização abstrata em favor de análises baseadas na pragmática das ações sociais. A folk psychology (psicologia popular) é um rótulo na Psicologia que diz respeito ao conjunto de crenças cotidianas acerca do ser humano, em contraste à descrição oferecida pela Psicologia científca ou profssional. Assim, a folk psychology pode ser colocada como tópico de escrutínio da Psicologia Discursiva. Dentro dessa mais ampla defnição de folk psychology, trago o conceito de concepção de sujeito como foco deste trabalho. Concepção de sujeito é a maneira como o sujeito é descrito noção entendida como folk psychology, mas com ênfase não na origem do conhecimento (por não ser científca), mas sim no sujeito que ela concebe maneira que é tratada, na presente pesquisa, como disponível no discurso. A pesquisa se debruça, enfm, sobre o campo da arte contemporânea, buscando enxergar concepções de sujeito no discurso de artistas plásticos, a partir da análise de conversas gravadas em áudio: como o sujeito acontece no discurso do artista que fala sobre sua obra? Foram realizadas e analisadas cinco conversas com artistas residentes no Recife, onde foi possível observar movimentos no discurso que apontam para diferentes concepções de sujeito. A análise ainda permitiu enxergar que tais concepções, ao serem invocadas no discurso sobre a obra de arte, participam de diferentes atos discursivos: defender a obra, explicitar seus méritos, justifcá-la em suas características formais fgurando, no discurso, um cenário em que as concepções informam o artista no ato de criação e ainda aparecem na explicação de por que fazer arte
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8090
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Psicologia Cognitiva

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2870_1.pdf3,86 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.