Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8055
Title: Aspectos morfológicos do desenvolvimento do complexo dentino-pulpar em prole de ratas tratadas com fluoxetina durante a gestação
Authors: SANTIAGO, Isabela Maria de Albuquerque
Keywords: Fluoxetina; Serotonina; Germe Dental; Complexo Dentino- Pulpar; Rato Wistar
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Maria de Albuquerque Santiago, Isabela; Baratella Evêncio, Liriane. Aspectos morfológicos do desenvolvimento do complexo dentino-pulpar em prole de ratas tratadas com fluoxetina durante a gestação. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Patologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: Estudos prévios avaliaram a presença de serotonina no interior do epitélio e mesênquima de germes dentários. Assim, objetivamos avaliar se o uso da fluoxetina (um inibidor de recaptação de serotonina) foi capaz de interferir na dentinogênese destes germes. Para tal, foram utilizadas 12 ratas prenhes da linhagem Wistar, divididas em três grupos: grupo controle (C), grupo tratado com fluoxetina na dose de 10mg/kg de peso animal (FL) e grupo tratado com fluoxetina na dose de 20 mg/Kg de peso animal (FX). Foram administrados solução fisiológica a 0,9% ou cloridrato de fluoxetina a esses animais do 1º ao 21º dia de gestação, por via subcutânea. Posteriormente, cada grupo foi divididos em 2 subgrupos, de acordo com a idade do desenvolvimento do germe dentário a ser estudado (1 e 5 dias de vida). Os animais foram anestesiados, suas mandíbulas removidas e o maxilar superior com os germes dentários direito e esquerdo foi seccionado tangentemente a face mesial do primeiro molar. As peças foram fixadas em formol tamponado a 10%, processadas convencionalmente para microscopia de rotina e incluídos em parafina histológica. Secções de 4 μm foram coradas com HE e fotomicrografadas. Uma análise morfológica e quantitativa dos odontoblastos, dentina e pré-dentina revelou tendências a pequenas diferenças estruturais nos grupos tratados, com maior incidência nos animais com 1 dia de vida, alterações consideradas estatisticamente não significantes. Estes dados sugerem que nas doses e condições estudadas e quando aplicadas durante a gestação, a fluoxetina não alterou o desenvolvimento da dentina coronária
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8055
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Patologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo2768_1.pdf1.82 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.