Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8052
Title: Avaliação eletroneurográfica de indivíduos com hiperparatireoidismo primário
Authors: Trovâo Diniz, Erik
Keywords: Hiperparatireoidismo primário;PTH;Polineuropatia;Condução nervosa;Eletroneurografia
Issue Date: 31-Jan-2011
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Trovâo Diniz, Erik; Rocha Cirne Azevedo Filho, Hildo. Avaliação eletroneurográfica de indivíduos com hiperparatireoidismo primário. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Abstract: Introdução: Alguns relatos de casos têm sugerido uma associação entre hiperparatireoidismo primário (HPTP) e polineuropatia periférica (PNP). Entretanto não existem estudos analisando esta possível relação. O objetivo deste estudo foi avaliar a condução nervosa periférica de sujeitos com HPTP. Métodos: 17 pacientes com HPTP foram incluídos. A média (±DP) de idade foi de 60,5 (±12,9) anos, de cálcio sérico de 11,5 (±1,0) mg/dl e de PTH sérico de 315 (±569) pg/ml. Um grupo controle foi formado por 17 indivíduos sem HPTP. A média (±DP) de idade foi de 60,8 (±12,5) anos e de cálcio sérico de 9,8 (±0,3) mg/dl. A condução nervosa sensitiva e motora foi avaliada através da eletroneurografia. Resultados: A velocidade de condução do potencial de ação de nervo sensitivo dos nervos surais direito (D) e esquerdo (E) foram menores no grupo com HPTP versus grupo controle, com média (±DP) de 52,7 (±6,3) versus 58,0 (±8,0) m/s (p=0,046) e de 51,6 (±6,8) versus 56,3 (±6,7) m/s (p=0,057), respectivamente. A amplitude do potencial de ação de músculo composto (PAMC) dos nervos medianos D e E também foi menor nos sujeitos com HPTP: média (±DP) de 7,4 (±1,6) versus 8,9 (±1,7) mV (p=0,008) e de 6,5 (±2,4) versus 7,6 (±2,0) mV (p=0,083), respectivamente. A latência do PAMC do nervo mediano D foi maior no grupo com HPTP, com média (±DP) de 4,3 (±1,2) versus 3,6 (±0,6) ms (p=0,025), assim como nos nervos tibiais D e E: 4,2 (±1,1) versus 3,3 (±0,4) ms (p=0,001) e 3,9 (±0,7) versus 3,4 (±0,6) ms (p=0,063), respectivamente. O exame neurológico foi normal em todos os pacientes. Conclusão: Nossos dados demonstram uma associação entre HPTP e alterações neurológicas periféricas, compatíveis com o quadro de PNP sensitivo-motora subclínica
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8052
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo1328_1.pdf1.31 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.