Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8021
Título: Efeitos do estímulo com CRH+desmopressina ou desmopressina durante o cateterismo dos seios petrosos inferiores em pacientes com com doença de Cushing
Autor(es): Maria Carneiro do Rêgo, Daniella
Palavras-chave: Doença de Cushing; CRH; Desmopressina; Amostragem do seio petroso
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria Carneiro do Rêgo, Daniella; Rocha Cirne Azevedo Filho, Hildo. Efeitos do estímulo com CRH+desmopressina ou desmopressina durante o cateterismo dos seios petrosos inferiores em pacientes com com doença de Cushing. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: O cateterismo bilateral simultâneo dos seios petrosos inferiores utilizando o estímulo com hormônio liberador de corticotrofina (CRH) é o teste padrão ouro para o diagnóstico diferencial da síndrome de Cushing ACTH dependente. Relatos do uso do CRH+desmopressina (DDAVP) ou DDAVP isolado neste procedimento são limitados. O objetivo deste estudo foi comparar o uso do estímulo combinado CRH+DDAVP ou do DDAVP isolado durante este procedimento. O exame foi realizado em 34 pacientes, a média de idade (+ DP) e sexo (F/M) foram 31.4 + 10.0 anos e 25/9, no período de janeiro de 1998 a dezembro de 2008. Após a cateterização de ambos os seios petrosos, amostras de sangue para ACTH foram coletadas, simultaneamente, nos seios petrosos e veia periférica, tanto no estado basal como após três e cinco minutos da administração de CRH+DDAVP (100μg +10μg) em 16 pacientes ou DDAVP isolado (10μg) em 18 pacientes. No basal um gradiente de ACTH central: periférico ³ 2 foi encontrado em 14/16 (87.5%) pacientes do grupo do CRH+DDAVP e em 15/18 (83.3%) pacientes do grupo do DDAVP. Após estímulo, aos 3 minutos, todos os pacientes de ambos os grupos (100%) tiveram um gradiente central: periférico ³ 3, enquanto que aos 5 minutos, 14/16 (87.5%) pacientes do grupo do CRH+DDAVP e 15/18 (83.3%) pacientes do grupo do DDAVP tiveram gradiente. Considerando-se o gradiente interpetroso de 1.4, lateralização foi obtida em 93.7% no grupo do CRH+desmopressina e 100% no grupo da desmopressina. Os dois estímulos tiveram o mesmo poder na diferenciação da doença de Cushing. O tempo três minutos foi mais efetivo que o tempo cinco minutos. Portanto a realização da coleta aos 5 minutos não ofereceu vantagem na definição diagnóstica
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8021
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1302_1.pdf2,49 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.