Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/780
Título: Área domiciliar e utilização de recursos alimentares por sagüis Callithrix jacchus na Reserva Particular do Patrimônio Natural RPPN Nossa Senhora do Outeiro de Maracaípe, Ipojuca, PE
Autor(es): Veríssimo, Katianne Cristina da Silva
Palavras-chave: Restinga;Ecologia alimentar;Área de uso;Callitrichidae
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Cristina da Silva Veríssimo, Katianne; Adélia Borstelmann de Oliveira, Maria. Área domiciliar e utilização de recursos alimentares por sagüis Callithrix jacchus na Reserva Particular do Patrimônio Natural RPPN Nossa Senhora do Outeiro de Maracaípe, Ipojuca, PE. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: Dois grupos vizinhos de Callithrix jacchus (A e B) foram monitorados entre maio e novembro de 2006, numa área de restinga (ecossistema da Mata Atlântica), localizada em uma reserva particular no município de Ipojuca, estado de Pernambuco, nordeste do Brasil (08031 48 S 35001 05 W, ao nível do mar). O principal objetivo deste estudo foi analisar a composição da dieta e verificar a influência da distribuição dos recursos alimentares sobre o tamanho das áreas de uso. A observação dos grupos seguiu o método Todas as Ocorrências, na freqüência de uma semana a cada mês, totalizando 420h de trabalho de campo. Foram utilizadas armadilhas dos tipos Malaise e pitfall para o levantamento de artrópodes nas áreas dos grupos A e B. Para análise do tamanho e utilização das áreas de uso foi utilizado o Programa Calhome. O grupo A, composto por cinco animais, utilizou uma área de 1,1ha, enquanto o grupo B, que alcançou nove animais ao término do estudo, usou uma área de 1,5ha. A composição da dieta para o grupo A representou 51.2% de goma, 33.9% de presas animais, 13.2% de frutos e 1.7% de pequenos vertebrados. Para o grupo B a composição incluiu 50.8% de goma, 38.5% de presas animais, 10.7% de frutos e não foi registrado o consumo de pequenos vertebrados. A abundância de artrópodes foi significativamente maior no período seco para ambos os grupos (A e B). A distribuição das fontes de frutos e goma em pequenos agrupamentos e o alto consumo de goma na dieta foram fatores determinantes no tamanho das áreas de uso dos grupos de sagüis neste ambiente de Restinga, o menor dentre todos os ecossistemas da área de endemismo da espécie
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/780
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Animal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1785_1.pdf2,23 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.