Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/770
Título: Controle biológico de isolados de Sclerotinia sclerotiorum por Trichoderma spp. e Ulocladium atrum e patogenicidade ao feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.)
Autor(es): Soares de Figueirêdo, Girlene
Palavras-chave: Sclerotinia sclerotiorum; Controle biológico por Trichoderma spp. e Ulocladium atrum; Phaseolus vulgaris L.(feijoeiro)
Data do documento: 2005
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Soares de Figueirêdo, Girlene; Tinti de Oliveira, Neiva. Controle biológico de isolados de Sclerotinia sclerotiorum por Trichoderma spp. e Ulocladium atrum e patogenicidade ao feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.). 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia de Fungos, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Resumo: Dentre as doenças que afetam a cultura do feijão, o mofo branco causado por Sclerotinia sclerotiorum é uma das mais importantes, principalmente em sistemas de cultivo que adotam a agricultura irrigada. Quatro isolados de Sclerotinia sclerotiorum, sendo três provenientes de plantas cultivadas com sintomas do mofo branco (Ss11-feijão; Ss17-alface e Ss5-soja) e um de solo (806), foram avaliados quanto a patogenicidade a plantas de feijão, variedade IPA-10. Todos os isolados testados revelaram-se patogênicos e apenas o isolado Ss5 foi estatisticamente inferior aos demais. Também foi avaliado o controle biológico in vitro pelo método de pareamento em placas de Petri utilizando-se oito isolados de Trichoderma e um de Ulocladium atrum, além do controle químico in vitro, por meio do crescimento micelial dos isolados de S. sclerotiorum em meio BDA, acrescido dos fungicidas Cercobin (Tiofanato metílico), Rovral (Iprodione) e Derosal (Carbendazim) em quatro concentrações distintas do ingrediente ativo (1, 10, 50 e 100 ppm). Com exceção de U. atrum, todos os isolados de Trichoderma revelaram potencial antagônico contra S. sclerotiorum, destacando-se T. harzianum (3601) como o de melhor desempenho. Quanto ao controle químico, Cercobin (Tiofanato metílico) foi o mais eficiente inibindo de forma satisfatória o crescimento micelial do patógeno, sendo este fungicida e o isolado 3601 selecionados para a comparação entre os controles químico e biológico in vivo de S. sclerotiorum em plantas de feijão, variedade IPA-10, em casa-de-vegetação. O antagonista foi aplicado ao solo veiculado em arroz autoclavado, numa concentração de 2 g/Kg de solo em diferentes períodos (antes do patógeno, juntamente com o patógeno e após o patógeno), enquanto o fungicida foi aplicado de acordo com as recomendações do fabricante. Houve diferença estatística entre os tratamentos, sendo a aplicação do fungicida e do antagonista realizadas antes do patógeno os mais eficientes, reduzindo o percentual de patogenicidade em 32,94% e 37,04%, respectivamente
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/770
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia de Fungos

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4542_1.pdf1,11 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.