Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7540
Title: Perfil de resistência antimicrobiana de isolados de Staphylococcus aureus provinientes de infecções de pele e tecidos moles de pacientes ambulatoriais
Authors: CARACIOLO, Fabiana Beserra
Keywords: Staphylococcus aureus; Resistência a antibióticos; Infecções comunitárias adquiridas; Pele
Issue Date: 31-Jan-2011
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Beserra Caraciolo, Fabiana; Magalhães da Silveira, Vera. Perfil de resistência antimicrobiana de isolados de Staphylococcus aureus provinientes de infecções de pele e tecidos moles de pacientes ambulatoriais. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Abstract: O Staphylococcus aureus possui uma notável habilidade de adquirir resistência antimicrobiana, sendo a resistência à meticilina um problema de saúde pública crescente. O Staphylococcus aureus resistente à meticilina vem se tornando importante também fora do ambiente hospitalar, particularmente nos Estados Unidos. No Brasil, desde 2005, têm sido relatados casos de infecções cutâneas comunitárias causadas por Staphylococcus aureus resistente à meticilina, porém estudos de resistência envolvendo pacientes ambulatoriais são escassos. Esta pesquisa objetivou conhecer o perfil de resistência de Staphylococcus aureus envolvidos em infecções de pele e partes moles de pacientes atendidos no ambulatório de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco. O estudo foi prospectivo, envolvendo 30 pacientes atendidos no ambulatório de Dermatologia de maio a novembro de 2011. Para a avaliação da suscetibilidade dos Staphylococcus aureus aos antibióticos foram utilizados o teste de disco-difusão e a placa de screening de oxacilina. Das 30 amostras obtidas das lesões cutâneas, 19 (63%) tiveram cultura positiva para Staphylococcus aureus. Os seguintes padrões de resistência dos Staphylococcus aureus foram observados: penicilina, 95%; tetraciclina, 32%; eritromicina, 21%; gentamicina, 16%; cefoxitina, 11%; oxacilina, 11%; sulfametoxazol-trimetoprima, 11%; clorafenicol, 11%; clindamicina, 5%; e ciprofloxacina, 0%. Um dos Staphylococcus aureus resistentes à meticilina identificados foi obtido de paciente sem fatores de risco para sua aquisição, e além de aos betalactâmicos, mostrou-se resistente apenas à tetraciclina. Os resultados do estudo sugerem que os betalactâmicos, com exceção da penicilina, ampicilina e amoxicilina, continuam representando uma boa opção de terapêutica empírica para pacientes com piodermites que buscam atendimento no ambulatório de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco. Documentou-se, pela primeira vez em Pernambuco, um caso de infecção cutânea causada por Staphylococcus aureus resistente à meticilina associado à comunidade. Em relação aos antibióticos não betalactâmicos, destacaram-se as resistências à tetraciclina, gentamicina e eritromicina
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7540
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Medicina Tropical

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8460_1.pdf997.55 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.