Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/738
Título: Florística e fitossociologia em trechos de vegetação do Complexo de Campo Maior, Campo Maior, Piauí
Autor(es): FARIAS, Ruth Raquel Soares de
Palavras-chave: Comunidades vegetais; Piauí; Botânica
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Raquel Soares de Farias, Ruth; Alberto Jorge Farias Castro, Antônio. Florística e fitossociologia em trechos de vegetação do Complexo de Campo Maior, Campo Maior, Piauí. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Resumo: Visando contribuir para um melhor conhecimento da vegetação do Piauí e, em especial para as áreas ecotonais, realizou-se o presente trabalho na Fazenda Lourdes no município de Campo Maior- PI, recoberto pela vegetação denominada de Complexo de Campo Maior. No levantamento fitossociológico, utilizou-se o método de quadrantes, instalando-se um total de 100 unidades amostrais, alocadas a cada 10m em cada uma das duas áreas, Alto do Comandante (AC) e Baixão da Cobra (BC). Considerou-se indivíduos lenhosos incluído cipós, com diâmetro do caule ao nível do solo (DNS) ≥ 3cm. Foram coletados os indivíduos amostrados e amostráveis, bem como aqueles que estivessem em estádio reprodutivo, através de coletas preferenciais e assistemáticas. Foram amostradas 46 espécies em AC e 44 em BC, totalizando 68 espécies. Os valores de densidade e de área basal foram 2730,68 e 2799,50ind.ha-1 e 38,22 e 38,58m2 ha-1, respectivamente. As espécies com maior IVC em AC foram Casearia ulmifolia Vahl ex Vent., Aspidosperma pyrifolium Mart., Combretum leprosum Mart. e Bauhinia ungulata L. A primeira posição de C. ulmifolia foi em conseqüência dos três parâmetros relativos. Apenas as três espécies de maiores IVIs contribuíram com os maiores IVCs. Em BC, a espécie de maior IVI foi Aspidosperma subincanum Mart, também em conseqüência dos valores dos três parâmetros relativos. Destacou-se ainda, Combretum mellifluum Eichler, Bauhinia pulchella Benth. e Buchenavia capitata (Vahl.) Mart. As quatro espécies com maiores IVIs corresponderam as de maiores IVCs. O índice de diversidade de Shannon (H ) foi de 3,20 e 3,09nats/ind-1, para AC e BC, estes valores são considerados altos quando comparados aos encontrados em trabalhos de Caatinga, Carrasco e Cerrado do Nordeste. A partir da comparação das espécies listadas neste trabalho, com as de outros 18 levantamentos, constatou-se uma maior similaridade com o Cerrado, em segundo com o Carrasco e por fim com a Caatinga. O espectro biológico realizado para a área mostrou que 52,48% foram fanerófitas; 29,07% terófitas; 13,47% lianas; 2,12% geófitas e caméfitas e 0,70% parasitas vasculares
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/738
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4634_1.pdf1,01 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.