Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7377
Title: Identificação de espécies de Malassezia em pacientes com Pitiríase versicolor atendidos no ambulatório de dermatologia CAME-Primavera em João Pessoa-PB
Authors: MIRANDA, Luciana Gadelha do Amaral
Keywords: Pitiríase versicolor; Malassezia spp; Antifúngicos
Issue Date: 2004
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Gadelha do Amaral Miranda, Luciana; Magalhães da Silveira, Vera. Identificação de espécies de Malassezia em pacientes com Pitiríase versicolor atendidos no ambulatório de dermatologia CAME-Primavera em João Pessoa-PB. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Abstract: A Pitiríase Versicolor (PV) é o distúrbio de pigmentação cutânea mais freqüente no mundo. Apresenta tendência a cronicidade e recidiva o que compromete a efetividade do tratamento. Atualmente, são reconhecidas sete espécies de Malassezia: M. furfur, M. sympodialis, M. globosa, M. obtusa, M. restricta, M. slooffiae e M. pachydermatis. Dessas, as seis primeiras podem causar a PV. Há uma carência de estudos que avaliem a ocorrência das espécies de Malassezia , assim como a sua suscetibilidade aos antifúngicos no Brasil. Por essa razão, realizou-se o presente estudo tendo por principais objetivos: verificar a distribuição das espécies de Malassezia de acordo com a localização das lesões de PV; avaliar se há correlação entre a distribuição das espécies e as car cterísticas clínicas das lesões; testar a sensibilidade das espécies identificadas aos antifúngicos cetoconazol, itraconazol e fluconazol. O desenho do estudo foi do tipo série de casos, sendo incluídos 389 pacientes com PV de set/2002 a jun/2003 atendidos no ambulatório de Dermatologia do CAME-Primavera João Pessoa/PB. Foram identificadas 127 cepas de Malassezia spp baseando-se nas características de lipodependência, produção de catalase, assimilação de Tween e micromorfologia. O teste de susceptibilidade aos antifúngicos foi realizado utilizando o método de difusão em ágar com discos em 36 cepas identificadas. A foi a mais freqüentemente encontrada (n=82/62,2%), seguida da M. sympodialis (n=17/13,5%). A M. globosa, M. restricta, M. obtusa, M sloofiae foram identificadas respectivamente em quatro, seis, oito e dez amostras. A M. pachydermatis foi a única não iden ficada, visto ser tipicamente encontrada em animais (cães e gatos). A maior parte das espécies testadas foi sensível (n=28/87%) ao cetoconazol e resistente (n=30/93%) ao fluconazol
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7377
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Medicina Tropical

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8078_1.pdf1.89 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.