Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7344
Título: O drama barroco dos exilados do nordeste
Autor(es): Grangeiro Cortez, Lucili
Palavras-chave: Exilado político;Exílio;Melancolia;Romantismo;Alegoria;Nacionalismo;Iluminismo
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Grangeiro Cortez, Lucili; do Socorro Ferraz Barbosa, Maria. O drama barroco dos exilados do nordeste. 2003. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Resumo: A tese tem como objetivo o estudo da trajetória de exilados políticos nordestinos com a instauração da ditadura militar no Brasil (1964- 1984), buscando compreender quais os mecanismos adotados no exílio com o sentido de reaver a identidade política. O exílio vivenciado por esses personagens pode ser identificado em diferentes períodos históricos da humanidade, e seus questionamentos sobre a moral, a sociedade e a vida cotidiana têm um caráter de universalidade, sendo, também, temas do teatro do período barroco. Trata-se de uma história do presente, a qual é iluminada pelo passado, buscando compreender a perda da identidade cultural e política dos exilados do Nordeste como personagens de um drama barroco , com inspiração em Walter Benjamin, através dos elementos por ele trabalhados como o mundo em ruínas, a melancolia, o discurso alegórico e o eterno retorno . Como no drama barroco, que aborda a política e o poder como temática universal e os diálogos têm conteúdo ético, filosófico e histórico, objeto de atenção dos exilados e da característica melancólica que lhes é inerente, a tese apresenta as tramas políticas que antecedem o golpe de Estado e o desenrolar dos acontecimentos em que perduram a ditadura militar e o exílio. Portanto, com base na memória desses personagens leva-se em conta a seletividade da memória e, ainda, de se tratar de um fenômeno construído através de modos conscientes e inconscientes . A tese tem como pressupostos: 1- O romantismo, em suas diferentes formas, é a visão de mundo comum aos exilados diante da diversidade de tendências ideológicas, predominando o romantismo revolucionário, através das formas humanista e jacobina. A oposição entre o romantismo dos nacionalistas contra o iluminismo conservador dos defensores do grupo multinacional e associado foi um dos fatores que desencadeou o golpe de Estado. 2- O marxismo-leninismo foi um recurso alegórico adotado pelos movimentos de esquerda na defesa dos ideais nacionalistas, com o acirramento das lutas políticas no Continente. Portanto, conclui-se que a experiência dos nordestinos nos países de exílio provocou a reflexão sobre o discurso e a prática política anteriormente adotada sem a devida correspondência na realidade brasileira ou latino-americana. A vivência política no exílio estimulou a revisão dos conceitos, possibilitando uma nova compreensão da realidade brasileira e da Região Nordeste, fortalecendo, também, os valores culturais e nacionais e o surgimento de uma identidade internacional
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7344
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - História

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo7719_1.pdf5,06 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.