Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7318
Título: Ensaio clínico randomizado comparando aeficácia e dinâmica da microfilaremia após doseúnica de Dietilcarbamazina isolada ou em associaçãocom Albendazol no tratamento de crianças e adolescentes infectados por Wuchereria bancrofti em Recife-Brasil
Autor(es): RIZZO, José Ângelo
Palavras-chave: Filariose;Tratamento em Crianças;Programa Global de Eliminação da Filariose Linfática;Dietilcarbamazina;Albendazol;Dose única;Eficácia
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Ângelo Rizzo, José; Dreyer, Gerusa. Ensaio clínico randomizado comparando aeficácia e dinâmica da microfilaremia após doseúnica de Dietilcarbamazina isolada ou em associaçãocom Albendazol no tratamento de crianças e adolescentes infectados por Wuchereria bancrofti em Recife-Brasil. 2006. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: Em áreas endêmicas para filariose, exceto a África subsaariana, a estratégia recomendada pela OMS para interromper a transmissão da infecção é o tratamento em dose única com Dietilcarbamazina (DEC), 6mg/kg, co-administrada com Albendazol (ALB), 400mg, em massa, por 4 a 6 anos, o tempo mínimo estimado de vida reprodutiva do verme adulto. Material e Métodos: Este é um estudo aberto, de base hospitalar, randomizado, controlado, com avaliação cega do desfecho em dois grupos paralelos de 41 indivíduos microfilarêmicos (W. bancrofti) (9 a 19 anos de idade), comparando o efeito de dose única de DEC isolada (6mg/kg) ou combinada com ALB (400mg) um ano após tratamento na prevalência e densidade da microfilaremia em 5ml de sangue colhido à noite, na área endêmica do Grande Recife Brasil. Resultados: Após o tratamento persistiram microfilarêmicos 16/41 pacientes (39% - CI95% 24%-54%) no grupo tratado com DEC e 20/41 (49% - IC95% 34%- 64%) no grupo tratado com a combinação (RR 0,8 IC95% 0,49 1,31). As taxas de microfilaremia foram 2% e 1,9% daquelas pré-tratamento (p > 0,05). Conclusão: Adicionar ALB à DEC em dose única para o tratamento de crianças e adolescentes microfilarêmicos não mostrou nenhum benefício em reduzir a prevalência e densidade da microfilaremia após um ano
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7318
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Medicina Tropical

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8112_1.pdf1,48 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.