Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7312
Title: Frequência de verrugas virais em pacientes transplantados renais no Estado de Pernambuco
Authors: Maria de Cássia Xavier Chagas Ferreira, Rosana
Keywords: Verrugas; Transplantados renais
Issue Date: 2003
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Maria de Cássia Xavier Chagas Ferreira, Rosana; Rosângela Cunha Duarte Coêlho, Maria. Frequência de verrugas virais em pacientes transplantados renais no Estado de Pernambuco. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Abstract: Verrugas são dermatoses causadas por vírus denominados genericamente Papilomavírus Humanos (HPV). A freqüência de verrugas virais na população geral é em torno de 10%. Pacientes transplantados renais, submetidos à imunossupressão prolongada apresentam risco de desenvolverem verrugas que varia em função do tempo de transplante. O objetivo da pesquisa foi determinar a freqüência de verrugas extragenitais em pacientes transplantados renais no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, Real Hospital Português e Instituto Materno Infantil de Pernambuco, e sua associação com fatores clínicos, biológicos, socioeconômicos e demográficos. Foi realizado um estudo epidemiológico do tipo transversal, no qual, foram examinados 208 pacientes transplantados renais, de ambos os sexos e todas as idades, no período de outubro de 2001 a maio de 2002. Realizou-se análise estatística para verificar possíveis associações com as variáveis estimadas, utilizando o teste qui-quadrado e o valor de p . As informações foram obtidas a partir da anamnese, do exame clínico da pele desses indivíduos, assim como, por coleta de dados em prontuários específicos. Realizou-se biópsias das verrugas em alguns pacientes. As verrugas virais foram encontradas em 47,6% de transplantados renais, sendo localizadas principalmente em áreas fotoexpostas. Esta freqüência é alta em relação à população geral. Quando se relacionou o tempo de transplante com a presença de verrugas foi observado um aumento significativo no grupo com mais de 5 anos de transplante (p=0,001). Desta forma, fica evidenciado a importância do acompanhamento dermatológico periódico desses pacientes, devido ao estado de imunossuspressão, à infecção pelo HPV e a fatores ambientais como as radiações solares, que juntos poderão favorecer a possível transformação maligna das lesões
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7312
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Medicina Tropical

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8024_1.pdf883.15 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.