Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7249
Title: A emergência da profissão docente no espaço público estatal : do mestre-escola ao professor público primário em Pernambuco
Authors: Correa De Araujo Peres, Pedro
Keywords: instrução pública-profissão docente modernidade; escolarização; cultura escolar
Issue Date: 2006
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Correa De Araujo Peres, Pedro; Maria Almoêdo de Assis, Virgínia. A emergência da profissão docente no espaço público estatal : do mestre-escola ao professor público primário em Pernambuco. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Abstract: Esta pesquisa estuda a formação histórica da profissão docente no espaço da Escola Pública de Pernambuco, em finais do século XIX. Um processo histórico de escolarização da sociedade brasileira realizado a partir de modelos importados das nações civilizadas da Europa e dos Estados Unidos, com a participação direta dos Estados Nacionais e a forte presença de idéias liberais e democráticas; de correntes cientificistas, como os positivistas, deterministas, assim como outros; que inspiraram os modelos de execução das ações no campo educacional, naquele período. Como uma certa historiografia no Brasil, produziu uma concepção de história educacional que enxerga dois pólos fundamentais na história da educação, dos finais do século XIX e primeiras décadas do século XX: o confronto entre o moderno e o tradicional. O moderno, como progresso científico e industrial, que produzia a idéia de uma escola nacional, pública, gratuita, obrigatória e universal, como caminho necessário para o progresso social, realidade apenas dos países desenvolvidos E o tradicional, onde mentalidades e práticas arraigadas de valores discriminatórios e excludentes de uma educação popular pública, predominava no Brasil. Mesmo com a permanência de uma realidade de atraso do Brasil, aqui proliferou o ideal moderno de escola pública, veiculado pelos Homens de Letras , educadores e autoridades, que construíram um ideal de educação como papel de regeneração social, racial e nacional, ideal que incorporava, contraditoriamente, elementos ditos como opostos, mas de fato, fazendo parte de um projeto homogêneo de reprodução social, esforço empreendido pelo Estado imperial, e posteriormente, pelo Estado republicano, desta feita, com a predominância do ideal democrático. Como as reformas, normas e legislações educacionais foram concebidas como reorganizadoras do Estado nacional brasileiro e como ações de caráter moderno no campo da educação escolar se fragmentaram na realidade adversa de um poder político sustentado por um modelo sócio-econômico, que beneficiava a elite política, intelectual e econômica do país.Na análise de conteúdo dos discursos e das idéias pedagógicas importadas, associadas à legislação reformista, identifica-se uma distância real dos discursos e ações oficiais, das práticas educativas no interior da escola pública. Apesar do discurso moderno acerca da formação da profissão docente e da escola pública em Pernambuco , o que caracteriza este período é o seu próprio contraponto: a impossibilidade de uma escola pública e popular, mesmo que liberal, e a reprodução e permanência de práticas educacionais e de organização do ensino tradicionais, diferente dos modelos modernos propostos
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7249
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo3300_1.pdf869.64 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.