Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7217
Título: Síndrome metabólica como fator de risco para o desenvolvimento de lipodistrofia em infectados por HIV e AIDS
Autor(es): ARAÚJO, Paulo Sérgio Ramos de
Palavras-chave: Síndrome metabólica; Lipodistrofia; HIV
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Sérgio Ramos de Araújo, Paulo; Arraes de Alencar Ximenes, Ricardo. Síndrome metabólica como fator de risco para o desenvolvimento de lipodistrofia em infectados por HIV e AIDS. 2011. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: Objetivos: Estudo prospectivo foi conduzido de 2007 a 2010 para identificar fatores de risco para síndrome metabólica e a associação entre síndrome metabólica e o desenvolvimento de lipodistrofia em infectados por HIV e AIDS em dois centros de referência em Recife, Pernambuco. Métodos: Síndrome metabólica foi definida pelos critérios do National Cholesterol Education Program in Adult Treatment Panel III e lipodistrofia através de auto-relato empregando questionário padronizado e já utilizado em estudo anterior. Resultados: Neste estudo, lipodistrofia apresentou incidência global de 16,5 ocorrências por 1000 pessoasdia e esteve associado através do modelo de análise multivariada, a sexo feminino, baixo nível de escolaridade, nível de células CD4 menor que 200mm3 e carga viral detectável. Síndrome metabólica mesmo após ajustada pelas outras co-variáveis permaneceu não significativa no modelo e, portanto não suportando a hipótese de que seria fator de risco para lipodistrofia. Síndrome metabólica apresentou incidência global de 24,5 ocorrências por 100 pessoasdia e esteve associada através do modelo multivariado ao emprego de terapia anti-retroviral, ausência de atividade profissional remunerada e sedentarismo ou atividade física leve. Indivíduos que não se definiram como brancos apresentaram efeito protetor para o desenvolvimento de síndrome metabólica. Conclusões: Síndrome metabólica esteve associada ao uso de terapia anti-retroviral e não suporta a hipótese de que seja fator de risco para lipodistrofia. Lipodistrofia parece ser mais frequente em mulheres pobres e com controle inadequado do seu status viral e imunológico
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7217
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Medicina Tropical

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo7583_1.pdf3,96 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.