Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7197
Title: Aspectos clínico-epidemiológicos de gestantes com valvulopatia reumática em hospital público de Recife
Authors: Otávio de Medeiros, Orlando
Keywords: Febre reumática;Gravidez;Valvulopatia reumática
Issue Date: 2006
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Otávio de Medeiros, Orlando; de Castro Chaves Júnior, Hilton. Aspectos clínico-epidemiológicos de gestantes com valvulopatia reumática em hospital público de Recife. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Abstract: A febre reumática (FR) constitui um grande problema de saúde pública nas nações em desenvolvimento, tendendo a ocorrer em áreas superpovoadas, com baixas condições culturais e socioeconômicas, nos indivíduos geneticamente susceptíveis. A doença acomete a pele, sistema nervoso central, articulações e o sistema cardiovascular. Apenas neste último o dano pode ser permanente. O tratamento tem elevado custo para o sistema de saúde. Nas mulheres com cardiopatia, o período gestacional com suas modificações circulatórias é fator de descompensação. Este estudo descreve os aspectos epidemiológicos (procedência, local de moradia, grau de instrução, número de pessoas residindo na casa, paridade, tempo de gestação, idade, renda familiar, uso de profilaxia secundária com penicilina benzatina, consultas do pré-natal), e caracteriza os diferentes tipos de seqüelas valvulares e o grau funcional das gestantes com cardiopatia reumática crônica internadas na maternidade do hospital público Agamenon Magalhães, no Recife, no período de maio a novembro de 2005. Trata-se de um estudo descritivo em uma amostra de 27 gestantes portadoras de seqüelas valvulares reumáticas. Procedeu-se à avaliação clínica e eletrocardiográfica, além de imagens ecocardiográficas. Colheram-se informações socioeconômicas e epidemiológicas, pela aplicação de questionário sobre limitação às atividades físicas, antes e durante a gestação e enquadramento das pacientes na classificação funcional de I a IV da New York Heart Association. Excluíram-se patologias cardíacas outras que não fossem de origem reumática. Das 27 pacientes estudadas, 59,2% procediam da região metropolitana, quase 63% tinham, no máximo quatro pessoas morando sob o mesmo teto, 66,6% eram de instrução elementar, 55,5% apresentavam renda familiar de até um salário mínimo, 44,4% não faziam profilaxia regular com penicilina benzatina e 83,3% fizeram consultas de pré-natal, 55,5% eram multíparas, 81,4% encontravam-se no 3º trimestre de gravidez e a média de idade foi de 27,6 anos. Cinco tinham próteses biológicas mitral e uma, dupla prótese biológica aórtica e mitral, enquanto as demais, acometimento das válvulas nativas. Constatou-se haver dez pacientes com dupla lesão mitral, oito com insuficiência mitral, um com estenose mitral, dois com dupla lesão aórtica, 6 com insuficiência aórtica, 18 com insuficiência tricúspide, dois com insuficiência pulmonar. Com o surgimento da gravidez, agravou-se a classe funcional em 62,9% dos casos. O eletrocardiograma alterou em 51,8%; e a dispnéia foi a queixa mais comum (55,5%). Houve associação estatisticamente significativa do ecocardiograma e algumas valvulopatias. Criou-se um índice clínico-eletrocardiográfico que era considerado positivo quando a paciente apresentou, ao exame, mais de sete sintomas e sinais clínicos. Tal índice positivo também se mostrou estatisticamente significativo em algumas valvulopatias. Concluiu-se que as gestantes, em sua maioria, estavam em acompanhamento pré-natal, no 3ºtrimestre de gravidez, eram multíparas, tinham baixa renda e baixo nível de instrução, não faziam profilaxia regular com penicilina benzatina e residiam com até quatro pessoas na mesma moradia. Além disso, na população estudada, as insuficiências tricúspide e mitral foram as disfunções valvulares mais freqüentemente encontradas isoladas ou quando combinadas, estando presentes em 18 dos 27 casos (66,6%). A gravidez, provavelmente contribuiu para agravar a classe funcional em 17 pacientes (62,9%)
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7197
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Medicina Interna

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8696_1.pdf530.7 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.