Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/719
Title: Detecção da atividade antifúngica de extratos de plantas do manguezal de Vila Velha, Itamaracá - PE
Authors: SILVA, Michelle Rose de Oliveira
Keywords: Manguezal; Atividade Antifúngica; Leveduras; Dermatófitos
Issue Date: 2004
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Rose de Oliveira Silva, Michelle; Buarque de Gusmão, Norma. Detecção da atividade antifúngica de extratos de plantas do manguezal de Vila Velha, Itamaracá - PE. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia de Fungos, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Abstract: O uso de extratos de plantas com propriedades antimicrobianas tem grande significado no tratamento terapêutico. No Brasil, somente 5% das espécies de plantas foram estudadas fitoquimicamente e uma porcentagem ainda menor foi avaliada sob aspectos biológicos. Este trabalho avaliou a atividade antifúngica das folhas e cascas de Avicennia sp., Conocarpus erectus, Laguncularia racemosa e Rhizophora mangle coletadas no estuário do rio Paripe (Vila Velha, Itamaracá, PE), frente a dermatófitos e leveduras. Após a secagem, o material coletado foi reduzido a pó e submetido a extrações sucessivas com metanol. A abordagem fitoquímica foi realizada para detectar os principais grupos químicos presentes nessas plantas. Para determinação da atividade antifúngica dos extratos foram realizados o método de difusão em disco e a determinação da concentração mínima inibitória pelo método de microdiluição e macrodiluição. Os microrganismos utilizados foram às leveduras Candida albicans, C. parakrusei, C. tropicalis, C. glabrata, C. parapsilosis, Trichosporon beigelii e T. pullulans e os dermatófitos Epidermophyton floccosum, Microsporum gypseum, Trichophyton mentagrophytes e T. rubrum. A abordagem fitoquímica revelou a presença de flavonóides, terpenos e esteróides e taninos nessas plantas. Os taninos representam o principal grupo existente nas plantas testadas e a casca da amostra 1 de Avicennia apresentou terpenos e esteróides com grande intensidade. No teste de atividade pelo método de difusão em disco foram ativos, para as leveduras, os extratos da casca da amostra 1 de Avicennia, da casca de C. erectus, da folha de L. racemosa e da folha e casca de R. mangle e, os dermatófitos, foram sensíveis a todos os extratos, com exceção da amostra 2 de Avicennia. Para o teste de difusão em disco C. albicans foi à espécie mais resistente enquanto T. pullulans foi mais sensível, seguido por C. parakrusei, C. glabrata e C. parapsilosis e para os dermatófitos E. floccosum foi o microrganismo mais sensível, seguido por T. rubrum, T. mentagrophytes e M. gypseum. Na determinação da concentração mínima inibitória das espécies de leveduras T. beigelii, T. pullulans, C. parakrusei e C. parapsilosis foram as mais sensíveis, com CMI de 15,625 mg/mL. Para os fungos dermatofíticos, E. floccosum foi o mais sensível, apresentando CMI de 15,625 mg/mL, enquanto M. gypseum foi o mais resistente com CMI de 1000 mg/mL. O presente trabalho indica que as espécies estudadas, em especial a casca da amostra 1 de Avicennia, possuem relevante potencial antifúngico e estudos posteriores devem ser conduzidos para isolar os compostos ativos
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/719
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia de Fungos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4514_1.pdf645.69 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.