Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7163
Título:  Viva a Liberté! : cultura política popular, revolução e sentimento patriótico na independência do Grão-Pará, 1790-1824
Autor(es): Júnior Ishihara Brito, Adilson
Palavras-chave: Grão-Pará; Independência; Histórica Política; Cultura Política Popular; Revolução
Data do documento: 31-Jan-2008
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Júnior Ishihara Brito, Adilson; Cristina Martins Guillen, Isabel. Viva a Liberté! : cultura política popular, revolução e sentimento patriótico na independência do Grão-Pará, 1790-1824. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Resumo: Este trabalho se propõe a discutir o processo de independência brasileira a partir do contexto político vivido na província do Grão-Pará, entre meados do século XVIII e as duas primeiras décadas do século XIX. O ângulo de visão escolhido para compreender esse intricado momento foi o da sociedade política marginal , ou seja, dos grupos de homens e mulheres livres pobres e escravizados da província, que, embora não estivessem situados nos espaços institucionalizados da política e do poder, construíram variados sentidos para o processo de ruptura com Portugal, amparados no conhecimento que possuíam das concepções e práticas da revolução liberal que se expandia pela Amazônia, principalmente irradiada das fronteiras. Nos interstícios localizados entre as instituições áulicas e o universo dos gestos e comportamentos marginais do dia-a-dia, foi sendo forjada uma rica e dinâmica cultura política popular , da qual partilhava a população semi-letrada e iletrada da província, notadamente os índios, mestiços e, em menor proporção, os negros. A partir desses referenciais políticos, econômicos e sociais, esses sujeitos históricos construíram seus projetos de futuro, geralmente embasados em um sentimento patriótico original, que propunha mudanças importantes na organização da sociedade e do poder, que melhor traduzissem o que entendiam por direitos , liberdade e cidadania , que deveriam ser incorporados no debate constitucional do nascente Império Brasílico. Visionários de um devir verdadeiramente livre, construíram suas próprias independências, geralmente circunscritas às práticas de revolução que, no limite, ganhavam sentido nos gritos de Viva à Liberté!
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7163
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - História

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo3289_1.pdf2,33 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.