Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7142
Título: Fatores de risco para o desconhecimento e retardo para o conhecimento da sorologia para HIV durante a gestação em uma maternidade do nordeste do Brasil
Autor(es): de Oliveira Xavier Ramos, Valdenise
Palavras-chave: HIV/Aids; Teste anti-HIV; Transmissão vertical do HIV; Aconselhamento; Fatores de risco.
Data do documento: 31-Jan-2008
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: de Oliveira Xavier Ramos, Valdenise; Ramos Lacerda de Melo, Heloísa. Fatores de risco para o desconhecimento e retardo para o conhecimento da sorologia para HIV durante a gestação em uma maternidade do nordeste do Brasil. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Resumo: Introdução - As estimativas de cobertura do teste anti-HIV em gestantes no Brasil são de 62%, com valores de 41% no Nordeste, obstáculo à profilaxia da transmissão vertical do HIV. O objetivo deste estudo foi identificar fatores de risco para o desconhecimento da sorologia para o HIV em gestantes, determinando a cobertura do teste durante toda a gestação e até a 14ª semana. Métodos Estudo caso-controle realizado em uma maternidade de referência para gestação de alto risco no Nordeste do Brasil onde foram entrevistadas 485 puérperas sobre variáveis biológicas, reprodutivas, sócio-demográficas, assistenciais e de informação em saúde. Resultados - Do total de puérperas 21,65% informaram desconhecer o resultado da sorologia para o HIV durante a gestação (cobertura do teste = 78.35%); 87,42% trazia o cartão da gestante, com registro do teste em apenas 48.58% deles, 22% informaram conhecimento do resultado do teste até a 14ª semana de gestação, ou 15,4% se considerado apenas as que realizaram o teste em laboratório público. Análise multivariada: menos de nove anos de estudos (OR, 2,92; P=0,006), morar no interior do estado (OR, 4,11: P=0,001), coletar o teste no terceiro trimestre de gestação (OR, 11,6: p=0,000) e falta de aconselhamento sobre a importância do teste na profilaxia da transmissão vertical do HIV (OR, 2,31; p=0,022), estiveram associados com o desconhecimento. CONCLUSÕES: a cobertura encontrada para o teste anti-HIV foi elevada, para a região Nordeste, quando comparada com estudos anteriores, porém, acentuadamente baixa (22% e 15,4%), até a 14ª semana de gestação. Escolaridade abaixo de nove anos de estudo, procedência de cidades do interior do estado, coleta do teste no terceiro trimestre de gestação e ausência de aconselhamento estiveram associados com o desconhecimento independente de outros fatores
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7142
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Medicina Tropical

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo3456_1.pdf492,62 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.