Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6982
Título: Visões do paraíso: releitura da Divina Comédia, de Dante Alighieri, em Avalovara, de Osman Lins
Autor(es): Oliveira Santana Júnior, Fernando
Palavras-chave: Comparatismo latino-americano; Paraíso; Divina Comédia; Dante Alighieri; Avalovara; Osman Lins
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Oliveira Santana Júnior, Fernando; Maria Araújo Ferreira, Ermelinda. Visões do paraíso: releitura da Divina Comédia, de Dante Alighieri, em Avalovara, de Osman Lins. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: Esta dissertação tem por objetivo fazer uma análise comparativa entre a Divina Comédia (escrita entre 1307 e 1321), de Dante Alighieri (1265-1321), e o romance Avalovara, de Osman da Costa Lins (1924-1978), publicado em 1973. Tendo constatado que pouco se tem escrito sobre a relação entre a Commedia e Avalovara, resolvemos escrever um estudo de caráter mais amplo, trazendo para o nosso trabalho contribuições feitas e dar a nossa contribuição. Para essa análise, priorizamos a comparação quanto ao tema do Paraíso, visto que tanto a Commedia quanto Avalovara recorrem ao mito bíblico. Mito que retornou com força no século XX, após um processo de saturação com o cientificismo e a industrialização herdeira do século das Luzes, segundo Gilbert Durand, de modo que conforme o escritor e crítico mexicano Carlos Fuentes, a necessidade do mito surgiu, paradoxalmente, das ruínas da cultura que o rejeitou. A influência da Divina Comédia sobre o romance Avalovara foi ressaltada por Osman Lins em várias entrevistas, mas ressalvando que o romance ao seu modo homenageia o poeta italiano. Nesse sentido, o estudo dessas duas obras se fundamentou no comparatismo latino-americano. Reflexões e ensaios de Antonio Candido, Silviano Santiago, Roberto Schwarz, Leyla Perrone-Moisés, Haroldo de Campos e Octavio Paz, por exemplo, foram importantes para entendermos como a releitura da Commedia por Avalovara não se deu passivamente, mas de maneira inovadora, de modo que contribuiu para a renovação do gênero romanesco latino-americano. A comparação entre essas obras ocorreu em dois aspectos: o estético e o identitário. Este se deteve, especialmente, na análise da androginia adâmica para problematizar a híbrida identidade latino-americana, através de Avalovara, visto que Dante não menciona o Adão andrógino. Aquele quanto à estrutura (composição catedrática), personagem (focalizando a Beatriz dantesca e as leituras variantes dela pelas personagens osmanianas, especialmente Roos, Cecília e ) e ao espaço (narrativização do Éden como espaço anímico e globalizante). Nosso ensaio termina com uma discussão sobre uma possível leitura do regionalismo literário na Divina Comédia (fundamentando-se no conceito de regionalismo como tendo seus primórdios na tradição greco-latina); também com uma discussão sobre uma releitura do regionalismo nordestino em Avalovara. Aproveitamos para também fazermos uma revisão de certos postulados da crítica osmaniana
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6982
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Teoria da Literatura

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1722_1.pdf2,74 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.