Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6979
Title: Efeito da morfina epidural na atividade eletromiográfica do cólon esquerdo durante a recuperação do íleo paralítico pós-operatório
Authors: SILVEIRA, Raquel Kelner
Keywords: Íleo Paralítico;Eletromiografia Colônica;Cólon Esquerdo
Issue Date: 1997
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: kelner Silveira, Raquel; Antônio Bandeira Ferraz, Alvaro. Efeito da morfina epidural na atividade eletromiográfica do cólon esquerdo durante a recuperação do íleo paralítico pós-operatório. 1997. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1997.
Abstract: A autora investigou os efeitos da morfina administrada por via epidural sobre as alterações eletromiográficas do cólon esquerdo durante o período de recuperação do íleo paralítico pós-operatório utilizando eletrodos bipolares implantados na camada seromuscular do cólon. Realizou-se um ensaio clínico controlado para fatores de confusão em pacientes com diagnóstico de mioma uterino e indicação cirúrgica (histerectomia total abdominal). O grupo experimental (n = 12) foi submetido à anestesia com bupivacaína a 2 % associada à morfina (dose única - 2 mg) injetadas por via epidural. O grupo controle (n = 10) foi submetido ao mesmo procedimento anestésico sem a utilização da morfina epidural. Foram analisados, através de leituras diárias (manhã e tarde) até a recuperação clínica do íleo paralítico (eliminação de flatus), a proporção da Atividade Elétrica de Controle (AEC) de baixa freqüência (1-8 ciclos/min), o número de contrações por hora e o tempo de duração (s) das Atividades Elétricas de Resposta de longa duração (>= 7s) e de curta duração (< 7s) e o Potencial Elétrico (mV) dos eletrodos implantados em cólon esquerdo. A diferença de médias do número de contrações por hora (p=0,0400) da AER de longa duração e o tempo de duração das contrações (p = 0,0346) nos dois grupos foi, estatisticamente, significativa, apenas no primeiro dia de pós-operatório. As outras variáveis estudadas apresentaram diferenças de médias e proporções sem significação estatística (p > 0,05). Considerando a precisão, validade e os critérios causais de Hill, concluiu-se que a morfina administrada por via epidural afetou, significativamente, a AER de longa duração apenas no primeiro dia de pós-operatório, sem, entretanto, influenciar a recuperação clínica do íleo paralítico pós-operatório
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6979
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Medicina Interna

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo7934_1.pdf2.91 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.