Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6976
Title: Ensaio clínico randomizado comparando dois tratamentos para vaginose bacteriana, com estudo descritivo do perfil clínico, epidemiológico e microbiológico das mulheres antes do tratamento
Authors: LEITE, Sonia Regina Ribeiro de Figueiredo
Keywords: Vaginose Bacteriana; Gardnerella vaginalis; Mobiluncus; Aroeira; Metronidazol gel vaginal
Issue Date: 31-Jan-2009
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Regina Ribeiro de Figueiredo Leite, Sonia; Arraes de Alencar Ximenes, Ricardo. Ensaio clínico randomizado comparando dois tratamentos para vaginose bacteriana, com estudo descritivo do perfil clínico, epidemiológico e microbiológico das mulheres antes do tratamento. 2009. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Abstract: Esta tese, apresentada em dois artigos, teve por objetivo comparar dois tratamentos para Vaginose Bacteriana, utilizando metronidazol e aroeira, em aplicação tópica vaginal e estudar o perfil clínico, epidemiológico e bacteriológico das mulheres participantes, antes de serem submetidas ao tratamento. O primeiro artigo consistiu de um ensaio clínico randomizado, duplamente mascarado, que comparou a eficácia entre os dois tratamentos em mulheres com vaginose bacteriana diagnosticada, concomitantemente, pelos critérios de Amsel e Nugent. Foi utilizada a Análise por Intenção de Tratar. Do total de 277 participantes do ensaio clínico, 137 mulheres foram tratadas com gel de Aroeira e 140 tratadas com Metronidazol. Na avaliação de cura pelos critérios de Amsel, 21,2% das pacientes que utilizaram aroeira e 62,1% que usaram metronidazol obtiveram cura. Quando o Escore de Nugent foi utilizado foram curadas 13,9% das mulheres do grupo da aroeira e 56,4% do grupo metronidazol. A cura total (com a utilização dos dois critérios) foi observada em 12,4% do total de pacientes no grupo da aroeira e 56,4% das mulheres que usaram metronidazol. O segundo artigo constou de uma série de casos onde foram estudados os achados clínicos, epidemiológicos e microbiológicos das participantes do ensaio clínico antes do tratamento, além da presença de lactobacilos nas citologias oncóticas e a população bacteriana componente das microbiotas vaginais identificadas por culturas de secreção vaginal. Entre as queixas clínicas, as mais frequentes foram o corrimento genital, observado em 74,4% das participantes e o odor de peixe da secreção vaginal, que ocorreu em 68,6% dos casos. As culturas de conteúdo vaginal permitiram a identificação de Gardnerella vaginalis em 96,8% e de Mobiluncus em 53,1% dos casos. Apenas em uma terça parte dos exames (32,1%) havia a presença de Lactobacillus. Como conclusões dos estudos, foram observados índices de cura menores com a utilização de Aroeira do que com Metronidazol; os efeitos colaterais foram pouco frequentes e sem maior gravidade em ambos os grupos e continuam necessários novos estudos que melhor elucidem as inter-relações entre os achados microbiológicos e a expressão clínica da doença
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6976
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Medicina Tropical

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo1143_1.pdf1.31 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.