Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6897
Título: Territorialidade da pesca no estuário de Itapessoca-Pe: técnicas, petrechos, espécies e impactos ambientais
Autor(es): SILVA, Janaina Barbosa da
Palavras-chave: Impactos ambientais;Comunidades pesqueiras;Manguezal;Estuário de Itapessoca
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Barbosa da Silva, Janaina; Cristina Gonçalves Pereira, Eugênia. Territorialidade da pesca no estuário de Itapessoca-Pe: técnicas, petrechos, espécies e impactos ambientais. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: A alta produtividade das áreas estuarinas do litoral brasileiro torna-as altamente utilizáveis por comunidades pesqueiras, cuja sobrevivência é, em geral, totalmente dependente desses ecossistemas. No entanto, as altas concentrações humanas e de poluentes bem como manejo inadequado dos recursos naturais pela população dos arredores, vêm diminuindo a biomassa, variedade e desenvolvimento de espécies de valor ecológico ou comercial. Nesse contexto, enquadram-se as comunidades pesqueiras de Barra de Catuama, Tejucupapo e Atapuz, localizadas no estuário do rio Itapessoca, Pernambuco, Brasil. Por isso, o objetivo deste trabalho foi traçar um perfil dessas comunidades a partir do conhecimento que pescadores e pescadeiras possuem sobre as localidades apropriadas para pesca, técnicas e petrechos que utilizam, as espécies de valor comercial mais capturadas, além da percepção dos impactos causados ao ambiente e, reflexos sobre a quantidade e tamanho do peixes, crustáceos e moluscos. Os dados foram levantados através de entrevistas guiadas por questionários semi estruturados. Foi constatado que os homens e as mulheres das três comunidades conhecem bem e utilizam as localidades apropriadas à pesca, embora as mulheres de Barra de Catuama e os homens de Tejucupapo tenham demonstrados um maior conhecimento acerca destas áreas e são as que mais as utilizam para esta atividade. Em todas as comunidades são empregados petrechos artesanais e técnicas tradicionais. Os grupos de importância comercial mais pescados são o dos peixes, para os homens, e crustáceos e moluscos, para as mulheres. Os profissionais da pesca consideram importante residir próximo às áreas de mangue, visto a facilidade para deslocamento, disponibilidade de alimento e, transporte do pescado. Em relação à percepção dos impactos ambientais, os entrevistados consideram duas procedências, antrópicas e naturais, sendo identificados as seguintes fatores da degradação: Resíduos sólidos, pesca com bomba, pesca com veneno, esgoto doméstico, barco a motor e pesca intensiva. De uma forma geral, o perfil das comunidades é o mesmo, sendo os de Barra de Catuama e o de Atapuz os mais semelhantes. Por fim, estas informações poderão subsidiar futuros estudos na área, além da elaboração de um plano de manejo e conservação ambiental
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6897
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6920_1.pdf3,01 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.