Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6825
Título: O processo de crescimento do povoado de Borracha, em Vicência- PE
Autor(es): CAMPOS, Edilza Bandeira de Arruda
Palavras-chave: Aglomerado rural;Produção agrícola;Dinâmica sócioespacial.
Data do documento: 2005
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Bandeira de Arruda Campos, Edilza; Maria da Silva, Marlene. O processo de crescimento do povoado de Borracha, em Vicência- PE. 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Resumo: O trabalho tem como objeto de estudo a dinâmica sócio-espacial do povoado de Borracha, em Vicência-PE, vinculado a uma realidade agrícola que definiu sua organização social ao longo dos últimos anos. A escolha do tema foi motivada pela inexistência de estudos atuais que expliquem o crescimento do povoado em ritmo bem superior à dos aglomerados rurais e dos núcleos urbanos vizinhos, de modo a contribuir, a exemplo dos que escreveram a geografia da área, para que a comunidade conheça melhor seu espaço de vida e trabalho. Com essa preocupação, o estudo aborda a origem do povoado, as causas de seu crescimento e da atual organização sócio-espacial. A pesquisa tomou como base dados estatísticos e carta do IBGE, informações extraídas das cartas topográficas da SUDENE na escala 1:25 000, documentos da Prefeitura Municipal de Vicência, registros fotográficos e informações de campo, obtidos através de pesquisa na área. A análise desse conjunto de informações mostrou existir uma estreita relação entre a dinâmica do povoado de Borracha e a da principal atividade agrícola da área emque o mesmo se situa a cultura da banana , o que justifica a adoção, no estudo, de um recorte espacial envolvendo a área do povoado e seu entorno. Refletindo essa relação, a sociedade de Borracha está estruturada em três categorias sociais, a saber: a de nível social mais alto representada pelos grandes proprietários de bananais que possuem acima de 50 hectares de terra e que geralmente desempenham as funções de comerciantes, ou são também políticos e ocupam, em sua maioria, a área central do povoado; a de nível social intermediário representada pelos médios proprietários de bananais (sítios de 20 a 50 hectares), representada pelos pequenos proprietários de lojas e mercearias e por uma parcela de funcionários públicos municipais que ocupam a porção norte do povoado; e a de nível social baixo, constituída pelos pequenos proprietários de bananais (sítios de 1 a 20 hectares) e pelos trabalhadores rurais que ocupam as áreas ao sul e a periferia leste do povoado
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6825
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6878_1.pdf2,58 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.