Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6728
Title: Determinação do polimorfismo de deltaccr5 e comparação com a distribuição de freqüências encontradas em indivíduos infectados pelo HIV-1 na população de Pernambuco
Authors: Karolina Vanderlei Macêdo, Ana
Keywords: Deltaccr5; Marcadores Moleculares; Humano; Pernambuco
Issue Date: 2003
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Karolina Vanderlei Macêdo, Ana; Maurício da Silva, Luiz. Determinação do polimorfismo de deltaccr5 e comparação com a distribuição de freqüências encontradas em indivíduos infectados pelo HIV-1 na população de Pernambuco. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Genética, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Abstract: Desde a descoberta de que a proteína CCR5 serve como co-receptor de superfície celular para o vírus HIV-1 em células CD4, o gene que codifica essa proteína tem sido tema central de estudos genéticos na patogênese da AIDS. Uma deleção de 32pb neste gene fornece uma proteção contra a infecção pelo HIV-1 em homozigotos para este alelo na transmissão sexual. Este trabalho tem como finalidade detectar e comparar as freqüências desta deleção nos indivíduos normais e infectados pelo vírus em Pernambuco. Para tanto, foram coletados sangue venoso de 251 indivíduos não aparentados de Pernambuco e de 260 indivíduos infectados pelo HIV-1 do Hospital Correia Picanço/PE. O DNA foi extraído por mini saltingout e digestão com proteinase K. A PCR foi realizada utilizando programa de amplificação e primers específicos. Os fragmentos amplificados foram submetidos a PAGE desnaturante a 7%, e coloração com AgNO3. A freqüência do alelo mutante ccr5Δ32 foi de 0,042 na amostra controle e na amostra de pacientes infectados. A amostra controle está em desequilíbrio de Hardy-Weinberg, com excesso de homozigotos para a deleção, sugerindo a ocorrência de seleção a favor dos homozigotos. Fora a ação de seleção natural, apenas o fluxo gênico explicaria este desequilíbrio. No entanto não há registros de migração recente de europeus para o Nordeste brasileiro. Não está descartada a possibilidade do desequilíbrio observado ter sido causado por outros fatores que não o HIV. Dos indivíduos infectados, 22 eram heterozigotos e nenhum era homozigoto para deleção
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6728
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Genética

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo6408_1.pdf488.62 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.