Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6585
Título: Estrutura, petrologia e geocronologia do batólito brejo da Madre de Deus (Estado de Pernambuco), relações com a zona de cisalhamento Pernambuco Leste, Nordeste Brasil
Autor(es): de Carvalho Melo, Silvana
Palavras-chave: Petrologia; ASM; Geotectônica; Geocronologia; Geoquímica
Data do documento: 2002
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: de Carvalho Melo, Silvana; Pacheco Neves, Sérgio. Estrutura, petrologia e geocronologia do batólito brejo da Madre de Deus (Estado de Pernambuco), relações com a zona de cisalhamento Pernambuco Leste, Nordeste Brasil. 2002. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2002.
Resumo: O batólito Brejo da Madre de Deus (BBMD) representa a porção central do batólito cálcio alcalino de alto potássio Caruaru-Arcoverde, localizado na porção centro-leste do Estado de Pernambuco. Ele intrude dominantemente ortognaisses graníticos a dioríticos e é constituído por três fácies: anfibólio biotita monzogranito a sienogranito grosso a porfirítico, anfibólio biotita sienogranito equigranular médio e quartzo diorito. A fácies porfirítico é dominante sendo intrudido pela fácies equigranular e apresentando feições de contemporaneidade com a fácies diorítico. Estudos de campo e de anisotropia de susceptibilidade magnética mostram que as tramas magmática e magnética são semelhantes, com foliações de direção preferencial EW a NE-SW e mergulhos suaves a moderados. Na porção sul a foliação magmática é superimposta por uma foliação milonítica dada pela zona de cisalhamento Pernambuco. Nas três fácies, os valores de K2O􀁥Na2O são maiores que um; os padrões de elementos terras raras (ETR) mostram enriquecimento de ETR leves em relação aos pesados e discretas anomalias negativa de Eu; e spiderdiagrams de elementos traço exibem depressões de Ba, Nb, Sr e Ti. Estas características sugerem magmatismo de subducção, porém como na área de estudo não existem evidencias desse processo, elas devem ter sido herdadas de eventos magmáticos pretéritos. Datações pelo método Pb-Pb em monozircão indicam idades médias de 591􀁲5 Ma e 583􀁲5 Ma para a fácies porfirítico e equigranular, respectivamente, corroborando os dados de campo. Os ortognaisses apresentaram idades que variam de 2070 Ma a 2090 Ma, tanto na porção norte como no sul, sugerindo que o BBMD não se alojou no limite de terrenosO BBMD apresenta caráter metaluminoso, teores de sílica em torno 70% para a fácies equigranular médio, 65 a 72% para a fácies porfirítico de 51 a 59% para a fácies máfico. A fácies grossa a porfirítico é cedo tectônico à atuação da zona de cisalhamento Pernambuco leste, e a fácies equigranular não apresentam deformação tectônica
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6585
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Geociências

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6913_1.pdf3,93 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.