Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6572
Título: Avaliação da qualidade do ar em ambiente industrial, usando líquen como biomonitor de possíveis riscos de intoxicação ocupacional
Autor(es): OLIVEIRA, Maria Alice Gonçalves da Silva
Palavras-chave: Cladonia verticillaris; Biomonitor; Contaminação ocupacional; Ácido fumarprotocetrárico
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Alice Gonçalves da Silva Oliveira, Maria; Cristina Gonçalves Pereira, Eugênia. Avaliação da qualidade do ar em ambiente industrial, usando líquen como biomonitor de possíveis riscos de intoxicação ocupacional. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: Estudos realizados com liquens da região Nordeste destacam Cladonia verticillaris como biomonitor da qualidade do ar em áreas urbanas e industriais. Objetivando-se avaliar o risco de contaminação ocupacional numa indústria petroquímica no Estado de Pernambuco, utilizou-se C. vetrticillaris em ensaios de biomonitoramento. Após oito meses de exposição ao ambiente industrial em 12 pontos monitorados, C. verticillaris apresentou comportamento diferenciado em 6, portanto, esse material foi selecionado para realização de testes complementares de cromatografia liquida de alta eficiência (CLAE) e cromatografia em camada delgada (CCD) após 1 e 8 meses de experimento. Nas CLAEs realizadas no material após um mês de experimento foram constatados teores do principal composto produzido pela espécie (ácido fumarprotocetrárico - FUM) próximos ao do material tempo zero (0,8 mg/mg). Após 8 meses de experimento o FUM foi detectado nos ensaios de CCD e CLAE nos pontos 07, 08 e 10. O ponto 09 e o 11 apresentaram apenas bandas referentes ao PRO na CCD, na CLAE foram obtidos picos com tempo de retenção semelhantes ao do PRO. O FUM não foi detectado em nenhum dos ensaios referente ao ponto 12. Foram realizados também ensaios em laboratório onde o material foi submetido a estireno ou pirrolidina (produtos processados na indústria) com objetivo de verificar a ação isolada desses produtos. O material foi coletado periodicamente para realização de ensaios de CCD, visualização em lupa e quantificação de pigmentos (clorofilas e feofitinas). A partir da análise das CCDs constatou-se a presença de bandas referentes ao FUM e ao PRO no material submetido ao estireno. No experimento com pirrolidina houve a ausência de bandas referentes aos compostos produzidos pela espécie, demonstrando que o material foi mais sensível á pirrolidina do que ao estireno. A partir da quantificação de pigmentos observou-se diminuição da produção de clorofilas e feofitinas no material submetido ao estireno, além do nível de feofitina ultrapassar o de clorofila. No material submetido á pirrolidina ocorreu uma produção exacerbada de feofitina (15,6 mg/mL). Tais resultados foram ratificados através da visualização do material em lupa onde constatou-se maiores alterações quanto a coloração no material submetido à pirrolidina que passou para a cor marrom, refletindo alta concentração de feofitina. Os resultados das análises do material submetido ao ambiente industrial a aos contaminantes em laboratório se ratificam e indicam o ponto 12 como de maior risco de contaminação ocupacional devido à pirrolidina
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6572
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo673_1.pdf1,39 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.